BLOG DC /
Cargas a granel: 5 pontos que você precisa ficar atento na importação e exportação!

O transporte de cargas a granel exige cuidados e atenção à legislação específica. Você sabe como realizá-lo da forma correta?

Listamos neste conteúdo as principais informações que merecem foco durante a importação e exportação, para que não haja perdas nos negócios.

Vale ressaltar que, quando falamos de cargas a granel, o primeiro pensamento que vem à cabeça é que estes são produtos em grãos, não é mesmo?

Mas, a definição se aplica a todos os tipos de mercadorias que não são transportados em caixas ou sacas, ou seja, exigem contêineres ou caminhões especiais para serem importados ou exportados. Continue a leitura para saber mais!

Entenda mais sobre a importância e diferenças das cargas a granel

As cargas a granel têm muita representatividade na logística internacional brasileira. Quer um exemplo da sua importância? A Isto É Dinheiro publicou que os estoques de agrícolas totalizou em 28 milhões de toneladas ao fim segundo semestre de 2020.

E, neste cenário apontado pela Isto É, os armazéns graneleiros e granelizados foram responsáveis por 37,5% da armazenagem nacional. Isso representa 66,1 milhões de toneladas de capacidade útil armazenada, conforme explicado pela publicação.

Enquanto isso, os armazéns convencionais, estruturais ou infláveis somaram neste período 22,9 milhões de toneladas de capacidade.

Com estes dados, fica mais fácil visualizar o quanto as cargas a granel são importantes no comércio exterior, não é mesmo? E, além de compreender esta realidade, vale a pena também saber corretamente as definições entre as diferenças de granéis sólidos e líquidos.

carga a granel

Aprender estas diferenças é fundamental ao prezar por cuidados específicos no transporte de cada tipo. E, com essa leitura, você compreenderá melhor as exigências às quais precisa se atentar.

5 pontos que você precisa ficar atento

Conforme explicado pelo Portal Porto Gente, os principais produtos agrícolas brasileiros são cargas a granel, como soja e milho, por exemplo.

O Brasil ainda é líder na exportação de suco de laranja, como também se destaca no mercado de produtos químicos e petróleos, que são cargas a granel líquidas.

Por isso, é essencial ficar atento a estes 5 pontos de atenção na importação e exportação de cargas a granel. Afinal, eles podem impactar e muito os seus negócios, além de refletirem diretamente nos avanços da economia nacional. Confira!

Mercado

Antes de qualquer operação do comércio exterior relacionada a cargas a granel, você precisa se manter atualizado sobre o mercado em que está operando e a logística internacional.

Está acompanhando, por exemplo, a forma como a alta no preço dos fretes internacionais está impactando no comércio exterior entre Brasil e países árabes? Isso porque, como informa o Portal Comex do Brasil, problemas de preços e baixa disponibilidade de contêineres e navios estão afetando os transportes de cargas a granel.

Outra notícia atual do mercado, que pode influenciar seus negócios com cargas a granel, é referente aos investimentos no complexo portuário Babitonga, como explica o NSC Total.

Com esta grandiosa obra, o complexo poderá receber navios de contêineres de 400 metros, as maiores embarcações mundiais de cargas atualmente.

Então, antes de qualquer operação de importação ou exportação com cargas a granel, atualize-se sobre o cenário em que está inserido e consiga vantagens nos transportes.

Nós podemos te ajudar nisso! Basta assinar nossa newsletter gratuita e receber em primeira mão as novidades do mercado.

Newsletter quinzenal

 

 

 

 

 

 

 

Pesagem e Medição Direta

Agora, vamos falar de um ponto muito importante, seja para transportar cargas a granel líquidas ou sólidas. A atenção à pesagem é fundamental para a realização destas movimentações.

Para isso, de acordo com a Receita Federal, são utilizadas as balanças rodoviária, ferroviária, de fluxo intermitente ou de fluxo contínuo.

Esta é uma etapa da quantificação das mercadorias com esta classificação, que ocorre de acordo com o artigo art. 27 da Instrução Normativa SRF nº 28, de 1994:

Art. 27. A quantificação das mercadorias exportadas a granel consiste na determinação do seu peso, expresso em quilogramas, e será feita mediante pesagem, medição direta ou arqueação.

Vale reforçar que, no artigo 28, é informado que “As divergências apuradas, as exigências formuladas e o seu atendimento pelo exportador, no curso da verificação da mercadoria, serão registradas, no Sistema, sem prejuízo de outras medidas previstas na legislação vigente”.

Além da pesagem, também é realizada a medição direta das cargas a granel. Ela ocorre por meio de instrumento medidor do fluxo de granel, líquido ou gasoso, assim como explica a Receita Federal.

Mensuração

Continuando, é a vez de compreender melhor o processo de mensuração das cargas a granel. Isso porque, é nesta etapa que ocorrem as medições iniciais e finais, mas durante as movimentações, podem ocorrer também aferições intermediárias.

A mensuração ocorre por meio do cálculo da variação do deslocamento (diferença dos deslocamentos em função da variação dos calados ou draft survey); com a medição do espaço vazio ou cheio do tanque; ou ainda por meio de equipamentos automatizados.

Mas, aqui vai um ponto de atenção, reforçado pela Receita Federal: o laudo referente à mensuração de granel só é válido quando acompanhado das planilhas que evidenciem os métodos e os cálculos aplicados para estes resultados.

Veículos

Você lembra do que explicamos sobre as diferenças entre cargas a granel líquidas e sólidas acima? Pois, isso também impacta a escolha dos veículos para seu transporte. Afinal, são formatos muito diferentes, logo, exigem cuidados específicos.

Produtos granéis sólidos exigem o transporte em contêiner bulk e caminhões truck ou carreta. Já os líquidos são levados em contêineres tanques, ou em caminhões do tipo cisterna ou tanque.

Porém, quando a carga a granel é transportada em grandes quantidades, em volumes e pesos na casa dos milhares, são usados os navios graneleiros para importação e exportação.

Segurança

A escolha do seu agente de carga para as movimentações deste tipo de carga é fundamental para garantir a segurança das operações. Isso porque, as cargas a granel exigem alguns cuidados específicos para que a qualidade seja mantida.

Para evitar danos e perdas, é importante driblar o excesso de peso. Ou seja, o veículo deve ter espaço e capacidade para suportar a quantidade desejada. A organização dos produtos nos contêineres também é um ponto de atenção primordial neste sentido.

Além disso, embalagens especiais e reforçadas para determinadas cargas a granel contribuem com a alta performance logística, diminuindo riscos de avarias.

A equipe da DC Logistics Brasil tem a expertise que você precisa para transportar cargas a granel.

Sabemos como melhor atendê-lo e ajustar a realidade dos seus produtos líquidos ou sólidos de acordo com o cenário atual e suas necessidades logísticas.

Quer saber mais? Solicite sua cotação de frete conosco e saiba como podemos ajudá-lo!

Solicite um orçamento