A importância de conhecer as especificações de cada mercado

A importância de conhecer as especificações de cada mercado

É essencial ter conhecimento sobre documentações e todas as etapas do processo de exportação. Contudo, tão importante quanto isso é entender o máximo possível a respeito das especificações de cada mercado com o qual seu negócio irá trabalhar.

Legislação, políticas cambiais e cultura de cada mercado são alguns pontos que devem ser analisados e verificados de perto. Isso com o intuito de que o número de erros se tornem quase nulos durante o processo.

Nesse sentido, hoje queremos falar com você sobre quais especificações precisam de atenção quando for lidar com negociações no comércio exterior. Continue a leitura!

Especificações de cada mercado: pesquise!

Antes de apresentarmos quais questões que você deve avaliar e ficar de acordo com cada mercado ou país destino, queremos te dizer o que se destaca acima de tudo: pesquisa!

Todos os aspectos que vamos pontuar a seguir envolvem muita pesquisa. Quanto mais você ir a fundo, entendendo legislação, cultura, perfil do consumidor, maiores serão suas chances de acertar na primeira negociação.

Não só estará criando confiança com o comprador, como também estará propenso a novas oportunidades de negócio. Seja com este ou outro importador do mesmo mercado, por exemplo.

Como já mencionamos em outros conteúdos, exportar não é um processo complexo, porém demanda muita atenção e entendimento de todas as etapas e questões que o envolvem.

Então, pesquise tudo que for possível sobre o mercado para o qual você quer exportar, isso será benéfico para o seu negócio em várias questões.

Agora, confira abaixo pontos que consideramos importantes e que devem ser analisados por você ou sua empresa referente a questões específicas de cada mercado destino.

Dica: analise também os produtos da concorrência que já estão no país para o qual você tem interesse em exportar. Eles podem servir de base para sua empresa identificar quais regras precisam ser seguidas. E ainda, quais adequações podem ser solicitadas para o seu produto ser comercializado naquele país.

Legislação

A legislação em outros países pode ser extremamente diferente da praticada no Brasil, principalmente no que se refere ao prazo de arrependimento, devolução, garantia e segurança. É muito importante pesquisar e entender o mercado com o qual sua empresa quer fechar negócios. Essas questões não podem deixar de serem verificadas.

Acordo de Livre Comércio com países do Mercosul

Mercosul

Tudo vai depender para onde sua empresa deseja exportar. Se é algum país do Mercosul, acreditamos ser importante lembrar que existe o acordo de livre circulação de mercadorias entre os países integrantes desse grupo.

Ele tem algumas facilidades aduaneiras que podem ser bem-vindas, dependendo dos seus interesses e demais questões como abrangência do produto no mercado, nível de exportações para esse determinado país etc.

Se depois de fazer uma pesquisa aprofundada seu negócio notar que existe uma abertura para o seu produto vender bem em um país do Mercosul, esse acordo pode facilitar os avanços da sua empresa neste novo mercado.

Políticas Cambiais

Já é de conhecimento da maioria que os países possuem moedas diferentes e que cada uma tem um valor levando em consideração condições econômicas, financeiras e as políticas monetárias de cada mercado.

Alguns aspectos que valem a pena serem frisados é que a operação de câmbio se divide em três etapas: contratação, negociação e liquidação. Dentro dela estão envolvidos os agentes de câmbio (BACEN e instituições financeiras) e também são lidados com dois tipos de regimes cambiais (fixo ou flutuante).

Não é possível realizar transações internacionais com os valores em real. Neste sentido, você não vai querer receber o pagamento na moeda do país de destino da mercadoria (exceto Estados Unidos).

Isso porque a moeda mais utilizada em negociações no comércio exterior é o Dólar Americano. É importante ficar atento aos fatores que interferem no valor dele em relação ao Real.

Um deles é o mercado de compra e venda da moeda, se a demanda por moeda aumenta, o Dólar sobe. Se existem muitas pessoas vendendo os Dólares, ele cai, valorizando o Real. O segundo fator que influencia no preço do Dólar em relação ao Real é o Banco Central do Brasil.

É primordial lembrar que além do preço de comércio da moeda, existem as taxas de câmbio que as instituições financeiras cobram dos comerciantes.

Cultura do mercado

Cultura de mercado

Existem características muito interessantes quando o assunto é a cultura de um determinado país. Assuntos como religião, esporte e política podem levar a opiniões e culturas totalmente diferentes quando vistas em um país do ocidente e em um país do oriente, por exemplo.

Novamente queremos reforçar a necessidade de ir a fundo e conhecer os gostos, hábitos, tradições, costumes do país com o qual sua empresa deseja realizar negociações. Na China, por exemplo, o aperto de mão não pode ser muito forte, deve ser seguido por uma leve reverência com a cabeça e sem o contato visual – já que ele é proibido.

Com a tecnologia facilitando cada dia mais nossa vida, atualmente muitos negócios são fechados sem mesmo os envolvidos se conhecerem pessoalmente. Contudo, quando a negociação for em um contato direto com o importador, é indispensável que você esteja atento a todos os detalhes, principalmente esses mais simples.

Legislação de importação do país destino

Além de estar atento a toda a legislação de exportação do Brasil, é primordial você entender e compreender as exigências da legislação de importação, ou seja, as leis que envolvem o processo no país destino.

Quais são as especificações quanto a entrada da mercadoria no país? Quais quesitos o seu produto precisa atender para estar apto para ser vendido naquele mercado?

Neste ponto vai muito também da cultura e de como são trabalhadas as questões econômicas de cada importador. Assim como o Brasil possui suas regras de importação, os demais países também contam com as suas.

Então, pesquise e entenda sobre quais leis a empresa importadora precisa estar em dia para receber os produtos da sua empresa e comercializá-los.

Divulgação de produtos

Entender como a propaganda é feita no país de destino é essencial para que sua empresa possa traçar estratégias de marketing para a venda. Isso claro se sua empresa estabelecer uma nova empresa para atuar lá.

Se sua empresa fabrica e fornece mercadoria para esses outros mercados, o marketing e a propaganda ficam por conta da empresa que for vender.

Mas levando em consideração que você precise pensar e se estruturar quanto a divulgação do seu produto no mercado internacional, entender as preferências e necessidades deste novo público é fundamental. Crenças e costumes podem e muito afetar nas vendas de determinados produtos estrangeiros.

Normas sanitárias

No Brasil sua empresa já precisará lidar com questões sanitárias para que tenha autorização para exportar. Entretanto, esse ponto também precisa ser analisado no mercado exterior.

Não que uma norma sanitária extremamente cobrada no Brasil será irrelevante em outro país. Não se trata disso, mas sim de que o país importador pode apresentar muito mais restrições quanto a isso.

Deixe seu produto de acordo com todas as normas sanitárias brasileiras. E também, se preocupe em pesquisar e deixar tudo correto quanto as questões sanitárias do país para o qual ele será enviado.

Barreiras Comerciais

Barreiras comerciais

Conforme informações descritas na Cartilha desenvolvida pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), as barreiras comerciais podem ser entendidas, de forma geral, como qualquer medida ou prática, de origem pública ou privada, que tenha o efeito de restringir o acesso de bens e serviços de origem estrangeira a um mercado, seja no estágio da importação, seja no da comercialização.

As barreiras podem ser classificadas em tarifárias, não tarifárias e outras.

Barreiras tarifárias

  • Imposto de importação
  • Imposto de exportação
  • Quotas tarifárias de importação
  • Quotas tarifárias de exportação.

Barreiras não tarifárias

  • Restrições quantitativas
  • Regulamentos técnicos
  • Regulamento sanitário e fitossanitário
  • Padrões privados/normas voluntárias
  • Serviços
  • Subsídios
  • Propriedade Intelectual
  • Compras governamentais
  • Regras de origem.

Outras barreiras comerciais

  • Tributação interna
  • Controle de preços
  • Procedimentos aduaneiros.

Quanto aos tributos brasileiros que não são recolhidos em operações de exportação podemos pontuar o IPI, ICMS, COFINS, PIS e IOF. Existem também o IE (Imposto de Exportação), mas ele só é cobrado para produtos em que o governo brasileiro não tem interesse em exportar.

Neste caso, esses impostos incidiriam sobre os produtos exportados. Porém, o governo optou por tornar isento o pagamento deles como uma forma de incentivo para melhorar as negociações com o comércio exterior.

Sistema Econômico

Analisar a economia do país também é muito importante. Como está a situação econômica do país? Como se encontra o poder de compra do consumidor?

Vale a pena analisar alguns dados de importação do país e identificar se o seu produto tem bastante demanda, se é importado com regularidade.

Verificar registros de exportações anteriores vai permitir uma visão mais ampla de como tem caminhado a economia deste país. E ainda, se ele é uma boa escolha para iniciar as negociações.

Adequação aos padrões internacionais

Os padrões internacionais podem determinar tanto as características específicas de um produto (forma, funções, desempenho, tamanho, embalagem) quanto as normas do processo produtivo.

São 5 critérios que precisam ser atendidos para se adequar aos padrões internacionais:

  • Qualidade
  • Apresentação do produto e/ou serviço
  • Contabilidade
  • Competitividade
  • Presença digital.

Neste ponto podemos mencionar duas questões muito importantes: a rotulação dos volumes e o código de barras. Saber utilizar os símbolos na embalagem é o que vai garantir que sua mercadoria chegue em condições ideais ao país destino.

Já a impressão do código de barras na embalagem também é um ponto essencial na comercialização internacional de produtos. O código EAN-13 é muito comum na maioria dos países, mas para realizar negociações com os Estados Unidos e Canadá é necessário utilizar o código UPC-12, por exemplo.

É indispensável entender dessa questão pois isso também pode prejudicar o envio da mercadoria para o país.

E então?

Você viu que falamos sobre algumas questões muito importantes que precisam ser analisadas no país de destino. Legislação, políticas cambiais, cultura do mercado, divulgação do produto, barreiras comerciais e outras.

Percebeu como são inúmeros detalhes a serem vistos para ter uma negociação segura e benéfica para ambas as partes, mas principalmente que atenda aos requisitos do país importador?

Quanto mais sua empresa entender a respeito da empresa importadora, mais próximo do ideal chegará a negociação.

O processo de logística e toda a documentação envolvida podem ser realizados e acompanhados pelo agente de carga com segurança e expertise. Quer exportar e tem dúvidas? Entre em contato conosco! Se desejar clique abaixo e solicite uma cotação!

Cotação de exportação

Compartilhe nas Redes Sociais

Facebook
Twitter
LinkedIn

Notícias Mais Lidas

Categorias

Assine a nossa Newsletter

Conheça nossos e-books

Pular para o conteúdo