Exportação de celulose e papel – Tudo o que você precisa saber

A produção de celulose atinge o maior volume da história. A exportação de papéis tissue chega a novos mercados. A partir dessas manchetes é possível ver que esse é um ótimo mercado. Só que nem todo mundo sabe como funciona a exportação de celulose e papel.

A ideia dessa matéria é trazer alguns pontos interessantes sobre esse tipo de negócio. Afinal, a nossa produção desses produtos é suficiente para abastecer o mercado interno e outros países. Inclusive, alguns que ficam bem longe daqui.

Dessa forma, vamos fazer uma divisão para falar dos dois produtos, que se enquadram em produtos florestais, sendo: celulose e papel. E em cada um vamos explicar sobre a exportação e trazer algumas curiosidades.

A exportação de celulose

Diferente do papel, que é mais comum do conhecimento de todas as pessoas, a celulose é um tanto quanto desconhecida. Porém, é muito útil dentro da indústria – apesar de não ser no consumo direto. 

Ela é a estrutura mais abundante nos vegetais, usada como matéria-prima de produtos. Entra como uma das principais commodities do nosso país.

Com a celulose é possível fazer papel, fraldas, tecidos, absorventes, emulsionantes, comprimidos, estabilizantes, biocombustíveis e muito mais. Por isso, está presente no dia a dia mais do que se imagina.

Como funciona a exportação de celulose

Agora, vamos direto ao ponto. Desde 2017, o Brasil se tornou uma referência no mercado mundial. Com uma produção em grande escala, temos por aqui várias fábricas. E elas levam a celulose para vários países, especialmente a China e a Europa.

A explicação é o fato de que muitos países são pequenos, sem condições climáticas favoráveis para a plantação de árvores. Dessa forma, a gente produz a celulose e entregamos para outros países em forma de placas. 

O que explica o motivo de se usar a via marítima para o transporte.

Qual é o maior exportador de celulose do mundo

A verdade é que já faz alguns anos que somos o maior exportador de celulose do mundo. A nossa produção está baseada em áreas reflorestadas, que são florestas plantadas. A produção é importante para toda a economia nacional.

Conforme a Ibá (Indústria Brasileira de Árvores), o segmento todo representa 1,3% de todo PIB (Produto Interno Bruto) nacional e 6,9% do PIB industrial. Isso quer dizer que a receita bruta ultrapassa os US$ 100 bilhões.

O destaque estadual é Mato Grosso do Sul. A gente já fez uma lista com os produtos mais exportados em cada estado. Relembre.

Para quem o Brasil exporta celulose

Assim como em boa parte das exportações do país, no caso da celulose, o nosso maior comprador é a China. Para lá vai mais de 40% de tudo o que produzimos no ano. Depois, vem os norte-americanos, que possuem média entre 15% e 20% conforme o ano.

Na Europa, nós temos uma fatia interessante, sendo que levamos a nossa produção até Holanda, Itália, Espanha, França, Alemanha, Reino Unido e Bélgica.

A exportação de papel

Da celulose é possível obter vários produtos. O papel é um deles. Assim, a polpa de celulose, com teor aquoso, passa por uma máquina de mesa plana e transforma a polpa úmida em uma folha contínua e lisa. Basicamente, o processo é esse. Depois, vem a prensagem e secagem.

E daí que o processo muda em alguns passos conforme o tipo de papel que se quer ter como resultado. São infinitas as possibilidades, dos papéis brancos de escrever até o kraft, mais usado em embalagens. Há ainda papéis cartão, de revista, couché, etc.

Como funciona a exportação de papel

Para quem entendeu como é exportar celulose, agora ficou mais fácil. Afinal, a ideia é a mesma: o envio é feito por navio, sendo que a quantidade, a divisão, o tipo ou os recortes vão depender do que é comum na comercialização dos produtos.

Um bom exemplo vem do papel higiênico, que geralmente é enviado em rolos, da forma com que será usado pelo público final.

Qual é o maior produtor de papel no mundo

Hoje em dia, o maior produtor de papel no mundo é a China. Ela tem uma indústria extremamente grande, que duplica suas produções a cada novo tempo. O curioso é que boa parte disso vem do papel higiênico, que se enquadra na modalidade de tissue.

Outros grandes produtores são: Estados Unidos, Japão, Alemanha e Coréia do Sul. O Brasil tem aparecido sim no ranking dos maiores produtores de papel. E, dependendo do ano, ganha um espaço entre os 5 maiores. Aqui temos a maior fábrica em linha única do mundo.

Para quem o Brasil exporta papel

O Brasil está entre um dos maiores consumidores de papel, sendo que alguns estudos falam em 50 quilos por ano. Isso equivale a 10 mil folhas de papel sulfite A4. E quando o assunto é a exportação, também.

Os produtos florestais (celulose, papel e borracha) ficam nas primeiras posições das exportações nacionais, atrás apenas de mercados como da soja e das carnes. O maior comprador é a China, seguida dos Estados Unidos.

Vale a pena investir na exportação de celulose e papel?

Com o tempo, o Brasil foi aperfeiçoando a sua forma de produzir a matéria prima. Hoje, temos uma estrutura sustentável, que produz volumes incríveis, o suficiente para abastecer o mercado interno e mais os líderes mundiais. Somos referência no assunto.

A Klabin Monte Alegre, por exemplo, é considerada a maior produtora de papéis de fibra virgem para embalagens da América Latina. A Suzano é a primeira a produzir celulose e papéis com 100% de fibra de eucalipto em escala industrial.

Portanto, se você atua em uma dessas ou outras grandes fábricas já deve saber como é a logística para o transporte de celulose e papéis. Já se tem um pequeno negócio e quer abrir mercados, uma ideia é pensar na expansão, através do mercado internacional.

A DC Logistics Brasil é uma empresa do setor logístico que está atenta a todas as inovações e tendências dos mercados. Se você gostou desse conteúdo e quer saber mais, acompanhe o nosso blog. Se quiser fazer uma cotação online, fale com um dos nossos especialistas.

Compartilhe nas Redes Sociais

Facebook
Twitter
LinkedIn

Notícias Mais Lidas

Categorias

Assine a nossa Newsletter

Conheça nossos e-books

Pular para o conteúdo