BLOG DC / Portos-secos mineiros apresentam redução de produtos desembaraçados

Portos-secos mineiros apresentam redução de produtos desembaraçados

Os desembaraços por meio dos portos-secos do Estado continuam caindo. No primeiro semestre, foram desembaraçados US$ 4,213 bilhões em mercadorias nas aduanas mineiras contra US$ 5,047 bilhões nos mesmos meses de 2014, uma redução de praticamente 15%. Os dados foram divulgados pela Receita Federal do Brasil (RFB).

Com base nas informações da Receita, além da retração da economia nacional, que impacta negativamente nos desembaraços dos portos-secos, o dólar valorizado também penaliza e desestimula os importadores. O valor desembaraçado em Minas representou apenas 3,7% do total em todo o País no primeiro semestre de 2015 (US$ 112,051 bilhões).

Conforme já divulgado, a queda de movimentação nas aduanas também aumentou a concorrência entre elas próprias, especialmente em terminais da mesma região, como ocorre no Triângulo Mineiro. O porto-seco de Uberlândia desembaraçou US$ 46,9 milhões em mercadorias durante os seis primeiros meses deste ano, 50,8% de queda frente ao mesmo período de 2014 (US$ 95,5 milhões).

Por outro lado, a aduana de Uberaba, também no Triângulo, desembaraçou US$ 366,1 milhões na primeira metade do ano, bem mais que em Uberlândia, mas também com retração de 8,5% em relação ao valor desembaraçado em mercadorias no mesmo intervalo de 2014 (US$ 400,5 milhões), conforme as informações da Receita Federal.

Em Juiz de Fora, na Zona da Mata, a situação da Mercerdes-Benz, com planta no município, que era uma espécie de âncora das movimentações da aduana do município, mudou o patamar de desembaraços neste porto-seco. O movimento de mercadorias através do terminal somou US$ 144,8 milhões de janeiro a junho, 61,1% menos em comparação com o valor das importações feitas em igual intervalo do exercício anterior, que totalizaram US$ 373 milhões.

Leia também
Uberaba receberá aportes de R$ 155,5 milhões Indústria fecha semestre com produção em queda Confiança sobe 0,6% em julho ante junho, aponta FGV Vale segue como maior exportadora do País Plano de recuperação da MMX Sudeste propõe venda de ativos para pagar credores

Granbel – No porto-seco Granbel, controlado pela Usifast, em Betim (RMBH), também houve queda. A zona aduaneira desembaraçou US$ 741,1 milhões de janeiro a junho, com decréscimo de 3% em relação ao mesmo intervalo de 2014 (US$ 764,1 milhões).

As importações por meio da aduana de Varginha, no Sul de Minas, alcançaram US$ 285,2 milhões em mercadorias ano acumulado até junho de 2015. Na comparação com os desembarques de iguais meses do exercício anterior, que totalizaram US$ 324,6 milhões, houve uma retração de 12,1%.

Os desembaraços no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins (RMBH), que até abril vinham crescendo, agora estão negativos. No acumulado até junho, as importações somaram US$ 2,628 bilhões contra US$ 3,089 bilhões no mesmo intervalo de 2014, uma baixa de 14,9%. O terminal respondeu por 62,3% do total desembaraçado em todas as aduanas do Estado para os seis primeiros meses deste ano.

O dólar caro dificulta as importações, mas, por outro lado, favorece as exportações. Tanto que os embarques através das aduanas fecharam o primeiro semestre deste ano com alta de 54,8%, somando US$ 731,3 milhões ante US$ 472,4 milhões no mesmo intervalo de 2014.

O crescimento foi sustentado pelo embarque de produtos do agronegócio, especialmente carnes da aduana de Uberaba, e de café, no Recinto Especial para Despacho Aduaneiro de Exportação de Guaxupé, no Sul de Minas. Os crescimentos neste caso foram de 626,8% e 84,2%, respectivamente.

Fonte: Portos e Navios

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.