Posts

O que esperar da logística internacional pós-pandemia?

O que esperar da logística internacional pós-pandemia?

2020 foi um ano de muitas mudanças no mundo todo, e na logística internacional não foi diferente. Isso porque os efeitos da pandemia do coronavírus refletiram na adoção de novas estratégias em inúmeros setores.

Agora, enquanto a ciência e a saúde avançam na busca por soluções de combate à Covid-19, especialistas compartilham suas visões sobre o que podemos esperar para o cenário pós-pandemia.

Na logística internacional, por exemplo, muito se fala sobre as novas perspectivas do mercado. Elas são influenciadas pelas mudanças de comportamento e econômicas registradas no mundo todo. Além disso, é observado como cada modal tem sido impactado e como funcionarão após a contenção da doença.

Pensando nisso, listamos aqui as principais observações e tendências compartilhadas sobre o cenário pós-pandemia. Desta forma, esperamos ajudar você a se antecipar e manter as operações de comércio exterior com alta eficiência e assertividade.

Então, siga com a leitura e acompanhe informações que vão ajudar seus negócios a manter as estratégias de logística internacional à frente dos cenários!

O que mudou na logística internacional devido à pandemia?

Em dezembro de 2019, foi registrado o primeiro caso de Covid-19, em Wuhan, na China. Esta informação foi lembrada pelo veículo “Isto É Dinheiro” em publicação sobre um ano do primeiro caso e a evolução da doença. Desde então, o mundo enfrenta uma “corrida contra o tempo” para conter o contágio, sendo que muitos países já encaram a segunda onda.

Neste sentido, acontecem os lockdowns, restrições de atividades sociais e isolamento social, entre outras estratégias. Elas impactam diretamente negócios de diversos setores, incluindo as atividades da logística internacional.

Quais foram as principais mudanças?

Conforme discutido em webinar na Câmara Árabe, compartilhado pela Agência de Notícias Brasil-Árabe, logo no início da chegada do coronavírus no Brasil, os transportes e portos se adaptaram de forma ágil.

Os participantes observaram, por exemplo, que a crise contribuiu com a aceleração do uso de ferramentas digitais na logística. Até mesmo o Radar Siscomex (Sistemas de Comércio Exterior) adotou a digitalização a favor da simplificação das operações de comércio exterior, como publicamos aqui no blog.

Além disso, adotaram-se outras estratégias para realizar o abastecimento dos países. Portos e transportes ferroviários, rodoviários e aéreos adaptaram seus sintemas, por exemplo.

No webinar, a coordenadora de desenvolvimento de transportes da CNT (Confederação Nacional do Transporte), Fernanda Rezende, lembrou por exemplo da crise dos contêineres. Eles ficaram retidos em diversos portos devido ao rígido controle da doença. Houve ainda a proibição da troca de tripulação de navios no modal marítimo.

Vale recordar ainda que a pandemia também afetou o modal aéreo, uma vez que o fechamento de fronteiras e outras restrições de circulação impactaram diretamente o funcionamento dos aeroportos, incluindo o transporte de passageiros.

Com isso, muitas empresas aéreas usaram aviões de transporte de passageiros para mover cargas essenciais internacionais.

O que esperar da logística internacional pós-pandemia?
O fechamento de fronteiras e outras restrições de circulação impactaram diretamente o funcionamento de aeroportos e a logística internacional.

Confira 3 tendências da logística internacional no pós-pandemia

Muita coisa mudou nas operações de logística internacional devido à pandemia, e muitas outras ainda devem mudar no decorrer do combate à doença. Entretanto, você precisa se preparar agora para quando ela for superada. Antecipe-se para lidar com este novo cenário após a crise.

Por isso, listamos aqui as principais informações compartilhadas por especialistas do setor, que visam orientar suas atividades e manter a competitividade quando tudo isso passar.

Afinal, conforme observado em artigo da Abracomex (Associação Brasileira de Consultoria e Assessoria em Comércio Exterior), o planejamento estratégico oferece possibilidades de novas parcerias e mercados.

Sendo assim, as escolhas dos gestores para a logística internacional serão fundamentais na estabilização da economia no cenário pós-pandemia.

Aumento das atividades de comércio exterior

Ainda conforme compartilhado pela Abracomex, a expectativa é que as empresas exportem mais com a retomada e estabilização no pós-pandemia.

A associação considera que a desvalorização do real compensará aos compradores, pois os produtos estarão com custos reduzidos. Neste sentido, é importante não só manter a fidelização dos clientes durante o cenário pandêmico, mesmo com a queda de negociações.

Isso porque, lá na frente, para a recuperação da economia, pode ocorrer a aceleração das atividades e intensificação em diversos setores.

Diversificação do local de produção e de insumos

Muitos negócios aprenderam com a pandemia que devem diversificar os locais onde buscam seus insumos, dando maior valor às soluções de regiões mais próximas, por exemplo, pois isso agrega mais velocidade e segurança.

Essa tendência na distribuição e no fornecimento de matéria-prima impactará diretamente estratégias de logística internacional, conforme observado em conteúdo da Revista LogWeb, sobre as cinco tendências em logísticas catalisadas pela pandemia.

Vale ressaltar também que a diversificação dos locais de produção também deve ocorrer para reduzir a dependência de um único país ou fornecedor.

Com isso, as cadeias de suprimentos vão se dividir em estruturas menores. Porém, mais ágeis, para melhor adaptação aos cenários complexos como o da pandemia. Assim, vão se antecipar às imprevisibilidades como esta.

Mais tecnologias nas operações

Acima, dissemos que o uso das tecnologias nas operações de logística internacional foi acelerado. E esta tendência deve continuar no pós-pandemia. Em artigo da revista “Supply Chain Magazine” sobre a logística pós-pandemia, observa-se que as ferramentas digitais vão contribuir para aumentar a eficiência das operações.

Sendo assim, as automatizações por meio de tecnologias logísticas vão refletir nas operações de entrega, na gestão de armazéns, entre outras atividades. Com isso, será possível ter maior controle no rastreamento de ativos, bens e capacidade em tempo real.

Desta forma, investir hoje em soluções tecnológicas e em parceiros que valorizem o uso de inovações nos processos é uma forma de se antecipar à tendência e manter a alta competitividade.

É por isso que a DC Logistics Brasil trabalha com soluções tecnológicas que refletem na logística internacional eficiente e diferenciada que você pode confiar para sua empresa.

Quer saber mais sobre como nossa equipe está pronta para se adaptar às suas necessidades em diversos cenários? Entre em contato e solicite sua cotação sem compromisso!


Cotação DC Logistics Brasil

Ano Novo Chinês 2021 e a logística internacional: o que mudou com a pandemia?

Ano Novo Chinês 2021 e a logística internacional: o que mudou com a pandemia?

Enquanto o ocidente celebra o Réveillon em 31 de dezembro, o Ano Novo Chinês 2021 ocorrerá somente em 12 de fevereiro.

 Isso porque, o país asiático considera o calendário lunar, enquanto as demais nações se guiam pelo calendário gregoriano.

Mas o Ano Novo Chinês 2021 é uma data que já gera expectativas no mundo todo, principalmente para o Comércio Exterior.

Existem muitas previsões sobre como esta virada específica afetará as importações nos dias que estão por vir, principalmente neste cenário de pandemia. Pois, existem medidas de segurança sendo avaliadas que vão interferir diretamente no funcionamento das empresas, que devem parar antes do que o previsto.

Então, acompanhe a leitura e saiba como se antecipar aos impactos que o Ano Novo Chinês 2021 trará para a economia mundial e para seus negócios de importação e exportação!

Quais as previsões do Ano Novo Chinês 2021?

O Ano Novo Chinês 2021 é regido pelas energias do Boi de Metal. Entretanto, não é sobre esta previsão que vamos falar aqui hoje.

Pois, apesar de os chineses levarem muito a sério as influências astrológicas, neste conteúdo apresentaremos as principais previsões sobre o Comércio Exterior e como elas impactarão os negócios.

A começar pelas expectativas de recuo do dólar. Conforme compartilhado pelo portal “Autodata”, os importadores esperam melhoras no cenário que está por vir, principalmente no segmento de automóveis.

A expectativa do setor é de que também haja redução dos impostos de importação. E isso afetará diretamente quem realiza negócios com as montadoras ou conta com peças de produção de carros chineses.

Outra tendência que deve se tornar realidade com o Ano Novo Chinês 2021 são os resultados da política econômica “China Plus One”.

Com ela, o país quer diversificar as fronteiras da sua cadeia de produção mundial, conforme explica o portal “InfoMoney”. Desta forma, a China busca desenvolver seu mercado doméstico, mas sem perder o foco no potencial exportador.

Além disso, antes mesmo do Ano Novo Chinês 2021 chegar, já haverá mudanças nas importações do país. Conforme divulgado no fim de novembro, a partir do 1º de janeiro será proibida a importação dos últimos tipos de resíduos sólidos permitidos no país.

São materiais como plástico, peças de automóveis, papel, sucatas e materiais de madeira ou têxteis, por exemplo, que antes eram reutilizados como matérias-primas industriais.

A pandemia e as comemorações

Todos os anos, devido ao Ano Novo Chinês, milhares de pessoas viajam pela China para participarem das cerimônias, sejam como turistas, ou com a família e amigos.

Entretanto, no ano passado, quando a data chegou, o país enfrentava graves consequências da pandemia do coronavírus. Ele era menos conhecido, mas os registros aumentavam com velocidade.

Com isso, como noticiado pelo portal “G1”, Pequim cancelou as suas famosas celebrações e muitos pontos turísticos visitados no período do ano foram fechados, até mesmo a Cidade Proibida.

Logo, as decisões impactam o turismo e a economia asiática. Além disso, o isolamento social também reduziu as atividades comerciais e industriais.

Agora o cenário mudou. E a Covid-19 está prestes a ser combatida pela vacinação. Ainda não há definições sobre como serão as festividades do Ano Novo Chinês 2021.

Os negócios devem parar entre 15 dias e uma semana antes do Ano Novo Chinês. Inclusive, o governo está incentivando a parada com duas semanas de antecedência, visando evitar aglomerações das pessoas que transitam pelo país nesta época do ano.

Contudo, a China já anunciou, segundo o portal “Observador”, que iniciará a vacinação de dois milhões de pessoas em Sichuan. E que, após o Ano Novo Chinês, pretende iniciar a vacinação da população em geral.

E como esta data impacta a logística internacional?

Segundo dados do Icomex (Boletim de Comércio Exterior) da FGV (Fundação Getúlio Vargas), e divulgados pela Agência Brasil, a China importou US$ 4,5 bilhões em julho de 2020. Do começo do ano até este mês, foram US$ 21,9 bilhões.

Com isso, a nação é uma das principais fontes de contribuição para o superávit da balança comercial brasileira.

Logo, quando falamos em Comércio Exterior, toda e qualquer data que esteja relacionada à economia chinesa reflete na logística internacional.

Recentemente, trouxemos aqui em nosso blog dicas para enfrentar os backlogs no modal aéreo. Neste conteúdo, explicamos como as peak seasons, ou seja, datas festivas, afetam os transportes internacionais.

E o Ano Novo Chinês 2021 é uma das celebrações que causam mais impactos. Isso porque, é um período agitado para o comércio asiático e todos que estão relacionados.

Por isso, é importante realizar um planejamento logístico o mais completo possível. Para que, assim, as surpresas do Ano Novo Chinês 2021 não impactem negativamente nas suas negociações.

Dicas para evitar problemas com a logística relacionada ao Ano Novo Chinês 2021

Ano Novo Chinês 2021 e a logística internacional: o que mudou com a pandemia?

Quando falamos em comércio exterior, toda data chinesa que esteja relacionada à economia reflete na logística internacional.

 

 

 

Sabemos que, nesta época do ano, os trabalhadores costumam prolongar suas folgas na China. Porém, devido à COVID-19, as empresas do país devem antecipar ainda mais o seu recesso, prolongando a pausa em relação aos anos anteriores.

As previsões indicam a paralização dos negócios a partir do dia 15 de janeiro para evitar as aglomerações. Isso porque existe no período uma intensa movimentação de chineses que residem nos grandes centros para áreas mais distantes.

Além disso, a logística internacional, que já sofre grandes gargalos devido à alta demanda e baixa disponibilidade de aeronaves e containers, será impactada com esta festividade e as mudanças nos funcionamentos das operações asiáticas devido ao Ano Novo Chinês.

Logo, a melhor forma de evitar problemas é antecipar os pedidos. Sendo assim, conte com um agente de carga que evite interrupções nas suas movimentações. Afinal, cargas paradas são um grande problema para suas negociações.

Por fim, uma outra sugestão é já iniciar a negociação com armadores e transportadores, para evitar a prática da blank sailing. Estabeleça já os valores de frete junto a eles neste fim de ano, enquanto os preços estão mais baixos.

Prepare-se para comemorar!

Estas e muitas dicas compartilhadas acima já foram apresentadas em nosso blog, em conteúdo sobre como o Ano Novo Chinês pode afetar as comercializações.

Entretanto, lembrá-las nunca é demais, uma vez que esta peak season acontece todos os anos. E, com ela, chegam também questões que anualmente merecem a atenção de quem atua com importação e exportação com foco neste país asiático.

Agora, ao seguir todas as orientações, o Ano Novo Chinês 2021 será um motivo de comemoração para os seus negócios, pois você alcançará os resultados esperados, sem que estes fatores afetem a sua produtividade.

Para isso, você pode contar com as soluções da DC Logistics Brasil. Estamos preparados para oferecer a logística internacional que contribui com a sua tranquilidade ao importar e exportar.

Quer saber mais sobre os nossos diferenciais que possibilitam uma logística que se adapta às suas necessidades? Então entre em contato e solicite sua cotação de frete sem compromisso. Queremos te ajudar a obter mais qualidade em todas as suas operações.

Cotação DC Logistics Brasil

 

FONTES:

Portal Autodata – https://www.autodata.com.br/noticias/2020/10/30/importadores-esperam-recuo-do-dolar-em-2021/32369/

InfoMoney – https://www.infomoney.com.br/colunistas/matheus-tavares-dos-santos/china-superpotencia-a-estrategia-e-os-desafios/

Estado de Minas – https://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2020/11/27/interna_internacional,1214998/china-proibira-completamente-importacoes-de-residuos-a-partir-de-2021.shtml

Agência Brasil – https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2020-08/china-se-mantem-como-principal-contribuinte-para-superavit-brasileiro

Blog DC Logistics – https://dclogisticsbrasil.com/5-dicas-para-enfrentar-os-backlogs-no-modal-aereo/ , https://dclogisticsbrasil.com/descubra-como-o-ano-novo-chines-afeta-suas-importacoes/

G1 – https://g1.globo.com/mundo/noticia/2020/01/23/pequim-cancela-festas-de-ano-novo-chines-por-conta-de-epidemia-de-coronavirus.ghtml

Observador – https://observador.pt/2020/12/09/covid-19-provincia-chinesa-vai-vacinar-de-urgencia-dois-milhoes-de-pessoas-apos-detetar-surto/

 

5 dicas para enfrentar os backlogs no modal aéreo!

5 dicas para enfrentar os backlogs no modal aéreo!

Basta ouvir falar em backlogs e as preocupações de quem trabalha com Comércio Exterior começam a aparecer. Este é seu caso?

Eles são ainda mais intensos no período de fim de ano, quando temos uma maior frequência de feriados e datas festivas, as famosas peak seasons, que afetam os transportes, incluindo as atividades no modal aéreo.

Entretanto, ainda é possível manter a tranquilidade nas operações deste período. Confira a seguir as informações e prepare-se para importar e exportar cargas preparado para os backlogs!

Backlogs e peak seasons

Backlog é um termo bastante comum na gestão de negócios. Mas, quando ele está presente no universo logístico, ganha um significado específico.

Esta palavra em inglês, de acordo com o Dicionário de Logística, refere-se à “carteira de pedidos dos clientes ainda não atendida”, ou seja, aos pedidos que estão pendentes.

Sendo assim, conforme explica o portal “Ux Comex”, em alguns períodos do ano, quando há uma alta demanda de transportes no modal aéreo, existem dificuldades para realizar o embarque em aeronaves, e assim ocorre o backlog.

Já explicamos o que é backlog, mas você sabe também o que é o termo peak seasons? Afinal, é muito comum aparecem juntos.

Peak season é a palavra usada para definir, segundo o portal “Faz Comex”, as temporadas em que há uma alta demanda de transporte internacional, acima da capacidade do mercado.

Ela costuma estar associada aos períodos festivos. Por exemplo, antes do Natal, Ano Novo, ou até mesmo o Ano Novo Chinês, que em 2021 será celebrado em 12 de fevereiro.

São períodos em que normalmente o comércio está mais agitado e a movimentação de cargas aumenta. Entretanto, são nestas ocasiões que aumentam os riscos de backlog, uma vez que faltam espaços nas aeronaves para embarcar as cargas.

Infelizmente, nestas ocasiões, os agendes de carga acabam sendo culpados pelos possíveis atrasos ou outras complicações do momento.

Mas, é uma situação que foge do controle dos profissionais, porque envolve cenários de diversos países e muitas companhias aéreas.

Por isso, é importante que as empresas conciliem suas necessidades de importação e exportação no modal aérea já prevendo backlogs e antecipando-se aos problemas. Quanto mais preparo frente esta situação, mais fácil é atender às demandas mesmo com estas imprevisibilidades.

Prepare-se para superar o backlog

5 dicas para enfrentar os backlogs no modal aéreo!

Durante as peak seasons, aumentam os riscos de backlog, uma vez que faltam espaços nas aeronaves para embarcar as cargas.

 

 

 

Mercados do mundo inteiro estão reaquecendo, conforme observado pelo portal “UX Comex”. Por isso, além das peak seasons, os backlogs no modal aéreo podem acontecer com mais frequência nos próximos meses.

Assim, a demanda de embarque pode se elevar e, logo, os preços podem subir, enquanto atrasos podem ocorrer.

Mas nada de se preocupar antes da hora. Com as cinco dicas, você estará preparado para encarar este problema e superá-lo na hora de importar e exportar, livre de problemas.

1. Antecipe-se!

Não espere o backlog acontecer – mesmo que você não saiba quando ele vai acontecer! Tenha sempre um plano B e já planeje o que fazer e como agir assim que realizar transições de compra e venda internacionais.

2. Recalcule o tempo de trânsito

Comece a considerar este período pendente no transporte da sua importação ou exportação. Passe a considerar que, com o backlog, a carga poderá ficar parada por um período maior que o esperado.

3. Encontre rotas alternativas

Tente buscar opções com menores demandas de movimentação e que possam atender suas necessidades. Quanto mais tentativas de booking, mais chances você terá de embarcar.

4. Invista em tarifas priority

Certos investimentos compensam preocupações, como pode ser o caso para as tarifas prioritárias. Neste caso, as companhias priorizam a carga sobre as demais cargas gerais, diminuindo substancialmente o risco de não-embarque por backlog.

Algumas cias inclusive oferecem serviço de tarifa “must-ride”, onde garantem o embarque de determinada carga e não deixam de embarcá-la caso não haja espaço, pois esta tarifa consiste em multa às empresas caso não cumpram com a exigência no embarque.

5. Embarque aos poucos

Esta é uma estratégia para quem pode realizar a divisão das cargas. Quanto menor a carga, mais chances de conseguir espaço no transporte aéreo. Então, mesmo que de forma fracionada, ela chegará ao destino final.

Quem se antecipa ao backlog, sai na frente!

Recentemente, a Agência Brasil divulgou que mesmo no cenário de pandemia, o setor aéreo brasileiro deve operar em dezembro com 45% da capacidade registrada neste mesmo mês em 2019 para voos internacionais.

Segundo o secretário nacional de Aviação Civil, Ronei Glanzmann, o Brasil espera o reaquecimento do setor com viagens nacionais. Ele também ressaltou que, nos últimos meses, o país adotou medidas para compensar as perdas do transporte aéreo ocasionadas pela pandemia, como não fechar o espaço aéreo interno.

Estas informações têm bastante relação com a realidade e possível backlog, uma vez que muitas empresas transportam suas cargas por voos de passageiros em vez de cargueiros, de acordo com a disponibilidade das companhias, segundo observado pelo “UX Comex“.

Entretanto, as cargas dos passageiros são prioridades, logo, com a alta temporada, o risco de backlogs aumenta.

Mas, agora que compartilhamos cinco dicas sobre como se antecipar a este problema, você está preparado para sair na frente da concorrência e embarcar suas cargas sem preocupações.

E se você está em busca de soluções logísticas internacionais que mantenham a sua tranquilidade, pode contar com a equipe DC Logistics Brasil!

Estamos preparados para mover cargas com eficiência e alta performance no modal aéreo, superando todos os desafios até a chegada do destino. Entre em contato e saiba como podemos te ajudar!

 

 

FONTES:

UX Comex – https://uxcomex.com.br/2020/10/como-enfrentar-os-backlogs-no-modal-aereo/

Faz Comex – https://www.fazcomex.com.br/blog/peak-season-o-que-e/

Agência Brasil – https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2020-11/setor-aereo-deve-recuperar-80-da-atividade-em-dezembro#:~:text=O%20setor%20a%C3%A9reo%20deve%20operar,cen%C3%A1rio%20pr%C3%A9%2Dpandemia%20do%20coronav%C3%ADrus.&text=O%20secret%C3%A1rio%20disse%20que%20a,diz%20respeito%20aos%20voos%20dom%C3%A9sticos.

Portal do Marketing – http://www.portaldomarketing.com.br/Dicionario_de_Logistica/B.htm

 

 

 

 

 

Confira alguns detalhes sobre a nova rota aérea entre Florianópolis e Miami!

Confira alguns detalhes sobre a nova rota aérea entre Florianópolis e Miami!

A rota aérea Miami – Florianópolis chegou para superar fronteiras e conectar ainda mais os negócios do Sul do Brasil e América do Norte. As atividades desta nova rota aérea começaram em agosto deste ano.

A inauguração é considerada um marco na evolução do comércio exterior brasileiro, pois trará muitos benefícios para as operações de importação e exportação, principalmente para Santa Catarina.

Isso porque, antes da inauguração, a carga internacional que será atendida por esta nova rota aérea contava com os aeroportos de outros estados próximos, como São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul.

Nesta leitura, vamos apresentar todos os detalhes sobre a nova rota aérea Miami – Florianópolis e a sua importância para os avanços da economia brasileira, incluindo os seus negócios.

Acompanhe para ficar atualizado sobre esta novidade e aprimorar suas operações de logística internacional!

Saiba detalhes sobre a nova rota aérea Miami – Florianópolis

Segundo informações divulgadas no site da LATAM Cargo Brasil, responsável pela inauguração da nova rota aérea Miami – Florianópolis, neste início, ela atenderá voos com frequência semanal e será realizada por aeronaves cargueiras de modelo B767F, com capacidade de transporte de 53 toneladas cada.

A nova rota aérea Miami – Florianópolis atende, principalmente, à logística internacional dos principais segmentos presentes em Santa Catarina, como as indústrias automotiva, metalúrgica, alimentícia, farmacêutica e eletrônica.

Existem muitas vantagens ao incluir esta rota aérea na sua logística internacional, como já falamos em nosso blog sobre benefícios de importar por Santa Catarina.

Isso porque, além de diversos incentivos tributários e fiscais, Santa Catarina possui uma infraestrutura que contribui com a agilidade de importações e exportações, o que também reflete em melhor custo-benefício para as transações.

Hoje, Santa Catarina conta com três terminais de cargas aéreas com expressivas movimentações. O de Florianópolis, por exemplo, alcançou um recorde em setembro deste ano, movimentando 213 toneladas de mercadorias, o equivalente ao dobro de 2019.

Os dados, segundo o Terminal Internacional de Cargas do Aeroporto de Florianópolis, comprovam a consolidação da rota cargueira regular Miami-Florianópolis.

Já o Aeroporto de Navegantes movimentou, segundo a Infraero Cargo, 2.807 toneladas de cargas entre janeiro e setembro deste ano. Enquanto o de Joinville registrou 1.446 toneladas movimentadas.

Esta nova operação regular aconteceu após o Floripa Airport obter, no fim de 2019, a homologação para receber aviões de grande porte, de código D e E, beneficiando o potencial logístico de Santa Catarina.

Confira alguns detalhes sobre a nova rota aérea entre Florianópolis e Miami!


A rota aérea Miami – Florianópolis possibilitará mais oportunidades de negócios internacionais.

 

 

Como a rota aérea Miami – Floripa beneficiará seus negócios?

A nova rota aérea permitirá a prestação de serviços diretos entre Sul do Brasil e Estados Unidos e também será possível conectar ainda mais países da Europa e Ásia.

Sendo assim, a inauguração reflete em mais estabilidade para estas operações no modal aéreo. Além disso, a rota aérea Miami – Florianópolis possibilitará mais oportunidades de negócios internacionais, pois aproxima compradores e produtores.

Desta forma, ainda proporciona mais agilidade e melhor planejamento logístico, pois antes desta nova rota aérea, as cargas que tinham como destino final o sul do Brasil, dependiam e muito, da complementação do transporte terrestre.

As jornadas pelas estradas brasileiras têm bastante riscos, pois lidam com as difíceis condições e segurança das rodovias brasileiras.

Também compreendemos que isso reflete em cada vez mais riscos para o transporte de cargas, desde atrasos até a segurança.

Sendo assim, a inauguração beneficiará e muito a economia, não só local, mas de todo o país.

E então?

Agora que você conhece todos os detalhes na nova rota aérea Miami – Florianópolis, esperamos que aproveite essa novidade a favor das suas operações.

Esta é uma oportunidade vantajosa de conectar os negócios nacionais à América do Norte e outros destinos do mundo, uma vez que o destino faz parte das principais rotas de importação e exportação.

Contudo, uma operação de importação ou exportação bem-sucedida precisa de empresas especializadas em transporte aéreo.

Nós, da DC Logistics Brasil, temos experiência de mercado que reflete na relação de distância e tempo da sua logística internacional.

Nossa equipe contribui com suas atividades ao realizar embarques consolidados regulares, proporcionando o melhor transit time com o menor custo, e agilizando os trâmites alfandegários.

Também temos expertise para atender ao transporte de grandes volumes, por meio do estreito relacionamento com as companhias aéreas. Assim, todas as necessidades da negociação são supridas, até mesmo em casos de cargas grandes.

E, com um follow up claro e objetivo, conseguimos compreender e entregar cada detalhe que você precisa para a movimentação aérea. Vale ressaltar que contamos com um tecnológico tracking system, follow up disponibilizado na internet para acesso em qualquer ponto a qualquer hora.

Desta forma, entregamos soluções de alta performance para suas necessidades de movimentação aérea, com gestão de grande eficiência. Se você quer realizar essa rota com qualidade e eficácia, entre em contato conosco e solicite uma cotação de frete!

Confira alguns detalhes sobre a nova rota aérea entre Florianópolis e Miami!

 

FONTES:
In Cargo News – http://incargonews.com/pt/latam-cargo-inaugura-sua-nova-rota-cargueira-miami-florianopolis-tornando-se-a-unica-companhia-aerea-a-oferecer-um-servico-direto-e-permanente-da-america-do-norte-para-a-regiao-sul-do-brasi-2/#.X60hVshKjIV
Aviação Brasil – https://aviacaobrasil.com.br/floripa-airport-e-latam-cargo-brasil-inauguram-a-rota-miami-florianopolis/
Floripa Airport – https://floripa-airport.com/noticias/terminal-internacional-de-cargas-de-florianopolis-bate-recorde-historico-em-setembro.html
Infraero – http://www4.infraero.gov.br/media/810507/movimento-rede-teca-janeiro-a-setembro_2020.pdf

 

 

 

 

 

Você sabe o que são os blank sailings e por que eles acontecem?

Você sabe o que são os blank sailings e por que eles acontecem?

O conceito de blank sailings deve ser muito bem compreendido por quem lida com o transporte internacional de mercadorias via rotas marítimas.

É de conhecimento geral que o comércio exterior é repleto de desafios e peculiaridades decisivas para o sucesso das operações – mas esse fato exige ainda mais atenção quando tratamos da relação entre as empresas, armadores e portos. 

Em poucas palavras, blank sailing é quando um porto não pode receber determinada embarcação dentro de sua rota prevista. 

Ao não compreender os fatores que motivam esse tipo de situação, bem como suas consequências diretas, as empresas podem ser pegas de surpresa com sérios prejuízos e atrasos comprometedores para todas as suas operações logísticas!

Para que você não tenha nenhum problema nesse sentido em suas importações ou exportações, a seguir, entenda melhor o conceito de blank sailing, saiba porque ele ocorre e descubra quais são os seus principais impactos para os embarques. 

O que são blank sailings?

O termo blank sailing, como mencionamos anteriormente, é utilizado no comércio exterior para comunicar o cancelamento da atracação de um navio na escala de determinado porto, alterando parcialmente ou totalmente a sua rota. 

Esse tipo de situação ocorre por escolha do próprio armador e pode também caracterizar o cancelamento de determinados serviços que englobam os demais portos presentes na rota do navio. 

Os armadores trabalham com rotas baseadas em sequências de escalas pré-definidas. Veja um caso prático: Manzanillo> Port of Spain> Manaus> Vila do Conde> Cartagena> Manzanillo. 

Ao fim dessa trajetória, a viagem é finalizada e uma nova rota é estabelecida. Assim, as viagens ocorrem suscetivelmente ao fim de cada conjunto de escalas. 

Quando o blank sailing ocorre, um dos portos previstos na rota, conforme o exemplo, não poderá receber o navio, fazendo com que esse caminho mude apenas em relação ao porto fechado ou mesmo inteiramente, dependendo da viabilidade. 

Isso quer dizer que, quando essa situação ocorre, a carga pode ser reprogramada para o próximo porto previsto na rota ou ainda somente na próxima viagem do navio. 

Os blank sailings são motivados por causas financeiras e operacionais. No próximo item, entenda melhor essas situações!

Por que eles ocorrem?

O blank sailing geralmente ocorre quando a demanda por espaços no navio em questão é muito baixa. 

Nesses casos, os armadores cancelam a viagem programada para a embarcação a fim de acumular cargas para o próximo navio. 

Essa é uma maneira de garantir que os espaços dedicados para o transporte das mercadorias estejam sempre cheios, fazendo com que os fretes continuem com uma faixa de preço elevada e suas taxas permaneçam quando houver menos travessias.

Os blank sailings são especialmente comuns depois da Golden Week e do Ano Novo Chinês, período em que as fábricas estão fechadas e a demanda por navios é baixa. 

Como nenhuma carga é enviada para os portos, não há volume suficiente para a saída dos navios na semana seguinte aos feriados, motivando os armadores à prática.

O blog Flexport também aponta que blank sailings no âmbito comercial podem ocorrer quando as operadoras estão alterando o seu número semanal de viagens. 

Por exemplo: se a transportadora deseja reduzir a rota Shenzhen> LA, como o próprio site exemplifica, de 10 travessias semanais para apenas 5, todo esse período de transição será marcado por blank sailings. 

Agora que você já sabe porque os blank sailings ocorrem, no item seguinte, entenda melhor como eles afetam os embarques e a logística das empresas!

Como esse tipo de situação afeta os embarques?

Quando uma carga foi reservada para uma partida que sofreu com blank sailing, sua saída será remarcada para avançar na próxima partida disponível. 

Como destaca o blog UXComex, o principal desafio nesses casos é que os importadores e exportadores saibam lidar com o lead time, respeitando o correto ciclo de compra e de venda das mercadorias em questão. 

Isso exige que as empresas que atuam no comércio exterior tenham um bom planejamento de recuperação e também de execução, minimizando as consequências financeiras e de prazos geradas pela omissão.  

Uma cultura sólida de análise de riscos também é indispensável para lidar com esse tipo de caso, já que isso ajuda a antever eventuais blank sailings e contribui para estabelecer os melhores parâmetros possíveis para lidar com eles. 

O ideal é contar com um bom operador logístico, que manterá você e seu negócio atualizados sobre o status da carga e garantirá que a programação seja ajustada da forma mais alinhada às suas necessidades!

Você já conhecia o conceito de blank sailing? Seu operador lida bem com esse tipo de situação? Quer um serviço de ponta para evitar as consequências? Então clique abaixo, solicite uma cotação de frete conosco e saiba como podemos ajudá-lo!

Solicite uma cotação