Posts

Retrospectiva Comex – veja quais foram as principais notícias do Comércio Exterior em 2021

A retrospectiva Comex de 2021 é a demonstração de que o ano que passou não foi fácil. Mas, ao ler as notícias do comércio exterior, é possível notar que há bons ventos soprando. Passamos pela maior crise logística internacional da história, agora é hora de olhar para frente.

Ao mesmo tempo em que nunca se pagou tão caro por esse “transporte” também nunca se esperou tanto tempo para que os produtos chegassem. Ainda assim, o Brasil bateu recordes e mais recordes, mesmo com os portos chineses fechando algumas vezes durante o ano.

E nesse mar de informações, o que podemos considerar de mais importante? Esse texto foi criado para trazer insights, ensinamentos e uma atualização do mercado Comex. Continue lendo e veja o que de mais importante aconteceu nos 12 meses de 2021.

A logística internacional para a chegada da vacina nos países

Essa não é bem uma das notícias do Comércio Exterior, mas foi uma das menções que mais interessam às pessoas com relação ao mercado – até mesmo quem não é ligado a ele. Afinal, muita gente se perguntou: como é que as vacinas chegam aos países?

Por isso, com a expectativa que se criou para a chegada das vacinas da Covid-19 em vários lugares do mundo, também cresceu o interesse pela ideia da logística internacional. Em um primeiro momento, a maioria dos produtos vieram da China e da Índia.

Depois, nós começamos a oferecer os nossos produtos ao mercado exterior. Para resumir esse tópico, vale lembrar desse título, que foi criado pelo Ministério da Saúde e está disponível no site do Governo: “Brasil passará de importador para exportador de vacinas Covid-19”.

O aumento do preço do frete internacional

Ainda que tenha sido um assunto que entrou na retrospectiva de 2021, considere que ele gera dúvidas e polêmicas até hoje. O motivo é que houve um aumento no preço do frete internacional e as empresas do setor tiveram que ver suas operações de outra forma.

Com base em dados do Relatório Marítimo 2021, o aumento no custo dos fretes marítimos vai aumentar o preço da importação mundial em 11% e os preços ao consumidor em 1,5% na média até o ano de 2023. O motivo que explica isso seria a “crise dos contêineres”.

Ou seja, a escassez de espaço disponível para o transporte de produtos, especialmente da Ásia para o Ocidente. Conforme a AFP, a ONU (Organização das Nações Unidas) alertou sobre o aumento dos preços em 2022 por custos do frete marítimo.

O bloqueio do Canal de Suez

E já que o assunto é sobre o transporte marítimo, que tal a gente lembrar daquele momento que ficou chamado de “Bloqueio no Canal de Suez”? Quem conhece as vias marítimas sabe que ele liga a Ásia até à Europa e, por isso, é muito importante.

A rota ganhou destaque em março de 2021. Foi quando o navio Ever Given, da Evergreen, encalhou no Canal de Suez após uma tempestade. O resultado foi inacreditável: 422 navios encalhados e com prejuízo global de quase US$ 10 bilhões por dia de bloqueio.

O texto explicativo já está disponível no Wikipédia. Lá é possível entender mais sobre o incidente e as consequências para o mundo.

Os recordes de superávit na balança comercial do Brasil

Se é para falar das notícias do Comércio Exterior em 2021, nós não podemos nos esquecer também que tivemos dados positivos na balança comercial brasileira. Foram vários recordes de superávit, que é quando acontecem mais exportações do que importações.

O resultado direto é que a China continua sendo o principal parceiro comercial do Brasil, representando mais de 30% das exportações e mais de 21% das importações. Depois, vem os Estados Unidos, seguido da Argentina.

Já entre os produtos de destaque na exportação, a gente tem o minério de ferro, a soja, os óleos brutos do petróleo, o açúcar, o café, as carnes, a celulose, entre outros. Nas importações, contamos com adubos e fertilizantes, além de medicamentos e óleos como destaques.

O governo zerou o imposto de importação de produtos

Conforme está no site do Governo Brasileiro, até fevereiro de 2021, o país havia zerado o imposto de importação de mais de 530 produtos. A ideia era a de facilitar a compra de equipamentos e auxiliar na retomada da economia do país.

Os produtos com alíquota zerada foram incluídos na Resolução 155 e envolvem monitores, respiradores, oxímetros e equipamentos médicos. Também foram acrescentados os produtos da indústria de bens de capital e insumos, além de equipamentos de informática.

Isso porque no começo daquele ano, o governo anunciou que o imposto de importação de agulhas e seringas usadas na Covid-19 estavam zerados, enquanto que a exportação foi proibida.

O lançamento do Portal Único de Comércio Exterior

E não daria para terminar o texto sem falar desse programa. O lançamento tinha o intuito de diminuir a burocracia, o tempo e os custos das exportações e importações do país. Isso permite atender com mais eficiência às demandas do Comex.

Com a reformulação, o programa vai integrar os intervenientes, redesenhar os processos e usar a tecnologia da informação em favor disso tudo. No entanto, como se trata de um assunto novo para muitos empreendedores e empresas, é preciso entender os serviços do Siscomex.

Siscomex é a sigla para Sistema Integrado de Comércio Exterior, que é esse portal único. Agora, é esse instrumento administrativo que integra as atividades e as operações do Comex no país. Na dúvida, procure uma empresa especializada para auxiliar você e sua empresa.

Para saber mais sobre as notícias do Comércio Exterior

Se você quer saber mais sobre as principais notícias do Comércio Exterior não deixe de ler o Blog da DC Logistics Brasil. Semanalmente são publicadas ali informações importantes sobre esse mercado e que tem relação com os serviços prestados pela empresa.

Afinal, se o ano de 2021 foi eufórico para o Comex, considere que apenas quem está bem informado e bem preparado é que vai conseguir aproveitar as melhores oportunidades desse mercado.