Transporte de baterias no modal aéreo: confira algumas regras e questões importantes!

Transporte de baterias no modal aéreo: confira algumas regras e questões importantes!

O transporte de baterias de lítio sofreu alterações em sua legislação em 2016, pois este material apresenta diversos riscos devido à sua composição.

Considerada um artigo perigoso pela ANAC, a bateria de lítio pode causar situações como explosão, emissão de fumaça tóxica e gases inflamáveis, entre outros.

Pensando na importância de entender as especificações deste produto, trouxemos neste conteúdo as principais características destas baterias e quais os riscos durante o transporte, além de apresentarmos os diferentes tipos de baterias de lítio e suas respectivas regras para transporte aéreo.

Portanto, se você lida com a logística de produtos que utilizam baterias de lítio, continue a leitura e entenda mais sobre a legislação deste material!

Por que o transporte de baterias de lítio é considerado perigoso?

Conforme publicação da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), um artigo perigoso é um objeto ou substância que quando transportado por via aérea, apresenta risco à saúde, à segurança, à propriedade e ao meio ambiente e que figure na Lista de Artigos Perigosos das Instruções Técnicas, ou então que esteja classificado conforme as Instruções Técnicas. 

Como o modal aéreo apresenta condições mais sensíveis, as Instruções Técnicas definem as condições ideais para manter a segurança no transporte de artigos perigosos.

É importante destacar que as Instruções Técnicas possuem a Lista de Artigos Perigosos, onde são especificados mais de três mil artigos. Entre eles estão os objetos ou substâncias com maior propensão a explodir, produzir chamas, vapores tóxicos e corrosivos, entre outros fatores.

Assim, as baterias de lítio configuram-se como artigos perigosos, apresentando diversos riscos durante o transporte. 

O lítio, mesmo sendo o material mais leve entre os utilizados em baterias, possui alto potencial eletroquímico, além da maior densidade de energia por peso. Durante o transporte aéreo de baterias de lítio, pode ocorrer o processo de disrupção térmica, que ocorre em uma única bateria, mas inicia a propagação, afetando outras baterias no mesmo ambiente de compartimento de carga.

Segundo a ANAC, “uma bateria de íon lítio danificada, em curto-circuito, aquecida ou defeituosa pode iniciar espontaneamente uma reação interna que aumenta a temperatura, ou seja, ocorre uma reação exotérmica. Essa reação gera gases inflamáveis que podem gerar um ambiente explosivo. Dessa forma, a bateria entra em combustão, pois produz seu próprio combustível e comburente.” 

De acordo com artigo publicado pela Conexão Sipaer, entre os riscos associados ao transporte aéreo das baterias de lítio, estão:

  • Fumaça na cabine: ocorre quando o sistema de ventilação da aeronave não é suficiente para dissipar a fumaça proveniente de fogo não controlado na carga
  • Explosão: caso ocorra o superaquecimento das baterias, é possível que seja liberada uma quantidade de gases suficiente para gerar explosão
  • Emissão de eletrólitos: trata-se de elementos com alto poder calorífico, o que pode ocasionar fagulhas e chamas nos materiais próximos
  • Vapores superaquecidos: ao superaquecer, as baterias também formam vapores, correndo o risco de atingir sistemas vitais da aeronave, além de contribuir para a propagação de fogo
  • Gases inflamáveis: a emissão destes elementos também contribui para a propagação do fogo
  • Fumaça tóxica: a fumaça tóxica vem do superaquecimento das baterias, sendo inflamável e perigosa para a saúde.

Conheça os tipos de baterias de lítio

Conheça os tipos de baterias de lítio

Na Lista de Artigos Perigosos citada pela ANAC são diferenciados os tipos de baterias de lítio existentes. Confira a seguir as características de cada uma:

UN 3090 – Baterias de lítio metálico 

O código UN 3090 representa as baterias de lítio metálico que são transportadas individualmente, sem o equipamento. O lítio metálico está presente nas baterias e pilhas não recarregáveis, que devem ser descartadas após o uso. 

Estas baterias são proibidas de serem transportadas em aeronaves de passageiros. Seu transporte deve ocorrer apenas em aeronaves de carga.

UN 3091 – Baterias de lítio metálico transportadas dentro do equipamento ou embaladas com o equipamento

Este código representa duas formas de transporte da bateria de lítio metálico: instalada no equipamento e embalada com o equipamento, ou seja, quando não está instalada. 

Nesta classificação, as baterias podem ser transportadas em aeronaves de passageiros e exclusivas de carga, desde que estejam de acordo com as instruções de embalagem.

UN 3480 – Baterias de íon lítio

São as baterias de íon lítio transportadas individualmente, sem estarem instaladas no equipamento. O íon lítio compõe as baterias ou pilhas que são recarregáveis.

Este tipo de bateria é proibido de ser transportado em aeronaves de passageiros, sendo permitido apenas em aeronaves de carga. 

UN 3481 – Baterias de íon lítio transportadas dentro do equipamento ou embaladas com o equipamento

Assim como o UN 3091, este código também abrange duas formas de transporte da bateria. As baterias UN 3481 podem ser transportadas tanto em aeronaves de passageiros como de carga.

Regras para o transporte aéreo de baterias

A partir de 2016 passou a ser proibido o transporte de baterias de íon lítio em aeronaves de passageiros em todo o território nacional, segundo determinação da Organização de Aviação Civil Internacional (OACI). Além disso, também foram criadas restrições para o transporte destas baterias em aeronaves de carga.

O objetivo da resolução foi diminuir os riscos à segurança apresentados pelo tipo de material utilizado nas baterias. Para isso, foram realizados diversos testes e estudos confirmando os riscos descritos. 

Conforme notícia publicada pelo portal da ANAC, as restrições para o transporte isolado de baterias de lítio em aeronaves de carga são:

  • Determinação de um limite máximo de estado de carregamento de 30% para baterias de íon lítio 
  • Limite de apenas um volume por remessa, preparado conforme a Seção II das Instruções de Embalagem 965 e 968 para baterias de íon lítio e de lítio metálico, respectivamente
  • Baterias de íon lítio e de lítio metálico preparadas conforme a Seção II das Instruções de Embalagem 965 e 968, respectivamente, devem ser oferecidas para transporte separadas de outras cargas e não podem ser carregadas em um dispositivo de carga unitizada (ULD) antes de serem oferecidas ao operador aéreo para transporte
  • Limite de apenas um volume contendo baterias de íon lítio e de lítio metálico, preparadas conforme a Seção II das Instruções de Embalagem 965 e 968, respectivamente, dentro de uma mesma sobrembalagem (overpack).

E então?

Você viu neste conteúdo que as baterias de lítio são consideradas artigos perigosos durante o transporte aéreo e podem causar diversos problemas como explosões e emissões de fumaças e gases tóxicos, colocando passageiros em risco.

Por isso, em 2016 passou a ser proibido o transporte de baterias de lítio em aeronaves de passageiros. Desde então, este material pode ser transportado apenas em aeronaves exclusivas para cargas. 

Apresentamos também quais são as diferentes classificações das baterias de lítio, e ainda, as regras e restrições para o seu transporte no modal aéreo. 

Esperamos que desta forma as principais questões referentes ao assunto tenham sido esclarecidas! Entretanto, caso tenha qualquer dúvida, fique à vontade para entrar em contato conosco.

Por fim, se você precisa de um operador logístico certificado e que atue com segurança no transporte de cargas, clique abaixo e solicite um orçamento!Solicite uma cotação

Compartilhe nas Redes Sociais

Facebook
Twitter
LinkedIn

Notícias Mais Lidas

Categorias

Assine a nossa Newsletter

Conheça nossos e-books

Pular para o conteúdo