Você sabe como aconteceu a primeira importação aérea no Brasil?

Você sabe como aconteceu a primeira importação aérea no Brasil?

A história da aviação no Brasil se iniciou e atravessou inúmeros processos até chegar no que é hoje. A primeira importação aérea no Brasil ocorreu na década de 1920, com a fundação da Viação Aérea Rio Grandense, a Varig. Quanto a isso, eram transportadas caixas de madeira, documentos postais, roupas, entre outros.

Nesse início, a logística ainda era muito simplista e, somente com o passar dos anos houve um avanço no setor fomentado pela tecnologia. Esse fator, certamente, foi um grande ponto para a mudança que seria operada continuamente, gerando rupturas com o passado.

Neste conteúdo, você verá mais detalhes dessa história presente nas memórias do país, o que é importante para agregar ainda mais conhecimento para quem lida diariamente com o assunto. Continue a leitura e confira!

Como foi a primeira importação aérea no Brasil?

A primeira importação aérea no Brasil foi realizada pela Varig, a primeira companhia aérea nacional, se tornando, inclusive, a maior do país, reconhecida mundialmente pela sua qualidade. A operação era da Linha da Lagoa, que ligava Porto Alegre a Pelotas e Rio Grande.

O primeiro passageiro foi o senhor Guilherme Gastal, no experimental primeiro voo, feito a uma altitude de 20 a 50 metros da água, a uma velocidade de 160 km/h.

No que se refere ao tempo da viagem, entre Porto Alegre e Pelotas, ela levou uma média de duas horas, e o voo entre Pelotas e Rio Grande, 20 minutos. Nessa época, as limitações da tecnologia eram altas, sobretudo pelo fato de o capital brasileiro ainda ser muito recente, com poucas habilidades no quesito financeiro.

Na prática, isso fazia com que as empresas brasileiras não tivessem tanta visibilidade, dando um maior destaque para a atuação de companhias estrangeiras entre os anos de 1920 e 1930. Neste ano, era inaugurado o Aeroporto Santos Dumont, localizado no município do Rio de Janeiro, sendo ele um dos mais movimentados do Brasil. Um dos fatores para isso, se deve à sua localização bem estruturada, próxima ao centro da cidade.

Não obstante, entre 1943 e 1945, mais precisamente, se iniciava uma expansão no setor aéreo, havendo a criação de diversas empresas de transporte. Vale mencionar que isso só foi possível devido à facilidade de adquirir aviões que haviam sido usados durante a Segunda Guerra Mundial para transportar tropas.

Ademais, como tais aviões não apresentavam tantos recursos, isso contribuía para que os seus preços fossem consideravelmente reduzidos. Com isso, muitas aeronaves, sobretudo, norte-americanas, foram compradas por valores acessíveis, em bom estado e com boas condições de financiamento. Deste modo, até a década de 1960, várias empresas foram criadas.

Movimentação de cargas no país

Na lista dos principais aeroportos de movimentação de carga no Brasil, temos: Guarulhos (SP), Viracopos (SP), Galeão (RJ), Eduardo Gomes (AM) e Afonso Pena (PR). No que se refere ao Santos Dumont, ele foi o primeiro aeroporto totalmente de caráter civil inaugurado em terras brasileiras.

Enquanto isso, o Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, em proporção, é o maior não só do país, mas também da América do Sul, e o segundo mais movimentado da América Latina em número de passageiros transportados, perdendo apenas para o Aeroporto Internacional da Cidade do México. 

É utilizado, principalmente, aeronaves de passageiros, já que há um elevado número de companhias. Por isso, mesmo havendo voos específicos para o transporte de cargas, é comum ver produtos sendo despachados em aeronaves de passageiros.

É válido também citar que o mercado de carga aérea possui dois tipos de segmentos: o de remessas expressas, que abrigam pequenas encomendas, tais como documentos, e o de cargas, útil para transportar pesos maiores e com objetivos comerciais.

Para não haver necessidade de desembaraço alfandegário, assim como estar apta a se enquadrar no regime em questão, é fundamental que as mercadorias não ultrapassem o valor máximo de US$ 5 mil na exportação e de US$ 3 mil na importação.

Como ocorre a importação aérea hoje?

Décadas e mais décadas se passaram desde a primeira importação aérea, o que, obviamente significa a evolução em muitos aspectos, agregando uma maior experiência ao consumidor, sendo possível oferecer melhores serviços, com mais opções e preços cabíveis para diferentes públicos.

Hoje, o processo de importação permite o rápido recebimento de mercadorias, com agilidade e eficiência, além de muito mais segurança. 

Outro ponto marcado pelos avanços diz respeito à capacidade de rastreio das encomendas, que pode ser feita de forma virtual.

A seguir, veja alguns procedimentos necessários referentes à apresentação de documentos para concretizar a importação aérea:

  • Declaração de Importação (DI);
  • Packing List ou Romaneio de Carga;
  • Fatura Comercial ou Commercial Invoice;
  • Conhecimento de Embarque

E então?

Como vimos neste conteúdo, desde a primeira importação aérea, muitas mudanças ocorreram, inclusive, no campo tecnológico, o que impactou diretamente a logística do setor. O resultado disso foram operações mais eficientes, ágeis, diversas, baratas e seguras.

Para se manter sempre em dia sobre o mercado de logística internacional, se inscreva agora mesmo na nossa newsletter!

Newsletter quinzenal

Compartilhe nas Redes Sociais

Facebook
Twitter
LinkedIn

Notícias Mais Lidas

Categorias

Assine a nossa Newsletter

Conheça nossos e-books

Pular para o conteúdo