5 dicas para enfrentar os backlogs no modal aéreo!

5 dicas para enfrentar os backlogs no modal aéreo!

Basta ouvir falar em backlogs e as preocupações de quem trabalha com Comércio Exterior começam a aparecer. Este é seu caso?

Eles são ainda mais intensos no período de fim de ano, quando temos uma maior frequência de feriados e datas festivas, as famosas peak seasons, que afetam os transportes, incluindo as atividades no modal aéreo.

Entretanto, ainda é possível manter a tranquilidade nas operações deste período. Confira a seguir as informações e prepare-se para importar e exportar cargas preparado para os backlogs!

Backlogs e peak seasons

Backlog é um termo bastante comum na gestão de negócios. Mas, quando ele está presente no universo logístico, ganha um significado específico.

Esta palavra em inglês, de acordo com o Dicionário de Logística, refere-se à “carteira de pedidos dos clientes ainda não atendida”, ou seja, aos pedidos que estão pendentes.

Sendo assim, conforme explica o portal “Ux Comex”, em alguns períodos do ano, quando há uma alta demanda de transportes no modal aéreo, existem dificuldades para realizar o embarque em aeronaves, e assim ocorre o backlog.

Já explicamos o que é backlog, mas você sabe também o que é o termo peak seasons? Afinal, é muito comum aparecem juntos.

Peak season é a palavra usada para definir, segundo o portal “Faz Comex”, as temporadas em que há uma alta demanda de transporte internacional, acima da capacidade do mercado.

Ela costuma estar associada aos períodos festivos. Por exemplo, antes do Natal, Ano Novo, ou até mesmo o Ano Novo Chinês, que em 2021 será celebrado em 12 de fevereiro.

São períodos em que normalmente o comércio está mais agitado e a movimentação de cargas aumenta. Entretanto, são nestas ocasiões que aumentam os riscos de backlog, uma vez que faltam espaços nas aeronaves para embarcar as cargas.

Infelizmente, nestas ocasiões, os agendes de carga acabam sendo culpados pelos possíveis atrasos ou outras complicações do momento.

Mas, é uma situação que foge do controle dos profissionais, porque envolve cenários de diversos países e muitas companhias aéreas.

Por isso, é importante que as empresas conciliem suas necessidades de importação e exportação no modal aérea já prevendo backlogs e antecipando-se aos problemas. Quanto mais preparo frente esta situação, mais fácil é atender às demandas mesmo com estas imprevisibilidades.

Prepare-se para superar o backlog

5 dicas para enfrentar os backlogs no modal aéreo!

Durante as peak seasons, aumentam os riscos de backlog, uma vez que faltam espaços nas aeronaves para embarcar as cargas.

 

 

 

Mercados do mundo inteiro estão reaquecendo, conforme observado pelo portal “UX Comex”. Por isso, além das peak seasons, os backlogs no modal aéreo podem acontecer com mais frequência nos próximos meses.

Assim, a demanda de embarque pode se elevar e, logo, os preços podem subir, enquanto atrasos podem ocorrer.

Mas nada de se preocupar antes da hora. Com as cinco dicas, você estará preparado para encarar este problema e superá-lo na hora de importar e exportar, livre de problemas.

1. Antecipe-se!

Não espere o backlog acontecer – mesmo que você não saiba quando ele vai acontecer! Tenha sempre um plano B e já planeje o que fazer e como agir assim que realizar transições de compra e venda internacionais.

2. Recalcule o tempo de trânsito

Comece a considerar este período pendente no transporte da sua importação ou exportação. Passe a considerar que, com o backlog, a carga poderá ficar parada por um período maior que o esperado.

3. Encontre rotas alternativas

Tente buscar opções com menores demandas de movimentação e que possam atender suas necessidades. Quanto mais tentativas de booking, mais chances você terá de embarcar.

4. Invista em tarifas priority

Certos investimentos compensam preocupações, como pode ser o caso para as tarifas prioritárias. Neste caso, as companhias priorizam a carga sobre as demais cargas gerais, diminuindo substancialmente o risco de não-embarque por backlog.

Algumas cias inclusive oferecem serviço de tarifa “must-ride”, onde garantem o embarque de determinada carga e não deixam de embarcá-la caso não haja espaço, pois esta tarifa consiste em multa às empresas caso não cumpram com a exigência no embarque.

5. Embarque aos poucos

Esta é uma estratégia para quem pode realizar a divisão das cargas. Quanto menor a carga, mais chances de conseguir espaço no transporte aéreo. Então, mesmo que de forma fracionada, ela chegará ao destino final.

Quem se antecipa ao backlog, sai na frente!

Recentemente, a Agência Brasil divulgou que mesmo no cenário de pandemia, o setor aéreo brasileiro deve operar em dezembro com 45% da capacidade registrada neste mesmo mês em 2019 para voos internacionais.

Segundo o secretário nacional de Aviação Civil, Ronei Glanzmann, o Brasil espera o reaquecimento do setor com viagens nacionais. Ele também ressaltou que, nos últimos meses, o país adotou medidas para compensar as perdas do transporte aéreo ocasionadas pela pandemia, como não fechar o espaço aéreo interno.

Estas informações têm bastante relação com a realidade e possível backlog, uma vez que muitas empresas transportam suas cargas por voos de passageiros em vez de cargueiros, de acordo com a disponibilidade das companhias, segundo observado pelo “UX Comex“.

Entretanto, as cargas dos passageiros são prioridades, logo, com a alta temporada, o risco de backlogs aumenta.

Mas, agora que compartilhamos cinco dicas sobre como se antecipar a este problema, você está preparado para sair na frente da concorrência e embarcar suas cargas sem preocupações.

E se você está em busca de soluções logísticas internacionais que mantenham a sua tranquilidade, pode contar com a equipe DC Logistics Brasil!

Estamos preparados para mover cargas com eficiência e alta performance no modal aéreo, superando todos os desafios até a chegada do destino. Entre em contato e saiba como podemos te ajudar!

 

 

FONTES:

UX Comex – https://uxcomex.com.br/2020/10/como-enfrentar-os-backlogs-no-modal-aereo/

Faz Comex – https://www.fazcomex.com.br/blog/peak-season-o-que-e/

Agência Brasil – https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2020-11/setor-aereo-deve-recuperar-80-da-atividade-em-dezembro#:~:text=O%20setor%20a%C3%A9reo%20deve%20operar,cen%C3%A1rio%20pr%C3%A9%2Dpandemia%20do%20coronav%C3%ADrus.&text=O%20secret%C3%A1rio%20disse%20que%20a,diz%20respeito%20aos%20voos%20dom%C3%A9sticos.

Portal do Marketing – http://www.portaldomarketing.com.br/Dicionario_de_Logistica/B.htm

 

 

 

 

 

Confira alguns detalhes sobre a nova rota aérea entre Florianópolis e Miami!

Confira alguns detalhes sobre a nova rota aérea entre Florianópolis e Miami!

A rota aérea Miami – Florianópolis chegou para superar fronteiras e conectar ainda mais os negócios do Sul do Brasil e América do Norte. As atividades desta nova rota aérea começaram em agosto deste ano.

A inauguração é considerada um marco na evolução do comércio exterior brasileiro, pois trará muitos benefícios para as operações de importação e exportação, principalmente para Santa Catarina.

Isso porque, antes da inauguração, a carga internacional que será atendida por esta nova rota aérea contava com os aeroportos de outros estados próximos, como São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul.

Nesta leitura, vamos apresentar todos os detalhes sobre a nova rota aérea Miami – Florianópolis e a sua importância para os avanços da economia brasileira, incluindo os seus negócios.

Acompanhe para ficar atualizado sobre esta novidade e aprimorar suas operações de logística internacional!

Saiba detalhes sobre a nova rota aérea Miami – Florianópolis

Segundo informações divulgadas no site da LATAM Cargo Brasil, responsável pela inauguração da nova rota aérea Miami – Florianópolis, neste início, ela atenderá voos com frequência semanal e será realizada por aeronaves cargueiras de modelo B767F, com capacidade de transporte de 53 toneladas cada.

A nova rota aérea Miami – Florianópolis atende, principalmente, à logística internacional dos principais segmentos presentes em Santa Catarina, como as indústrias automotiva, metalúrgica, alimentícia, farmacêutica e eletrônica.

Existem muitas vantagens ao incluir esta rota aérea na sua logística internacional, como já falamos em nosso blog sobre benefícios de importar por Santa Catarina.

Isso porque, além de diversos incentivos tributários e fiscais, Santa Catarina possui uma infraestrutura que contribui com a agilidade de importações e exportações, o que também reflete em melhor custo-benefício para as transações.

Hoje, Santa Catarina conta com três terminais de cargas aéreas com expressivas movimentações. O de Florianópolis, por exemplo, alcançou um recorde em setembro deste ano, movimentando 213 toneladas de mercadorias, o equivalente ao dobro de 2019.

Os dados, segundo o Terminal Internacional de Cargas do Aeroporto de Florianópolis, comprovam a consolidação da rota cargueira regular Miami-Florianópolis.

Já o Aeroporto de Navegantes movimentou, segundo a Infraero Cargo, 2.807 toneladas de cargas entre janeiro e setembro deste ano. Enquanto o de Joinville registrou 1.446 toneladas movimentadas.

Esta nova operação regular aconteceu após o Floripa Airport obter, no fim de 2019, a homologação para receber aviões de grande porte, de código D e E, beneficiando o potencial logístico de Santa Catarina.

Confira alguns detalhes sobre a nova rota aérea entre Florianópolis e Miami!


A rota aérea Miami – Florianópolis possibilitará mais oportunidades de negócios internacionais.

 

 

Como a rota aérea Miami – Floripa beneficiará seus negócios?

A nova rota aérea permitirá a prestação de serviços diretos entre Sul do Brasil e Estados Unidos e também será possível conectar ainda mais países da Europa e Ásia.

Sendo assim, a inauguração reflete em mais estabilidade para estas operações no modal aéreo. Além disso, a rota aérea Miami – Florianópolis possibilitará mais oportunidades de negócios internacionais, pois aproxima compradores e produtores.

Desta forma, ainda proporciona mais agilidade e melhor planejamento logístico, pois antes desta nova rota aérea, as cargas que tinham como destino final o sul do Brasil, dependiam e muito, da complementação do transporte terrestre.

As jornadas pelas estradas brasileiras têm bastante riscos, pois lidam com as difíceis condições e segurança das rodovias brasileiras.

Também compreendemos que isso reflete em cada vez mais riscos para o transporte de cargas, desde atrasos até a segurança.

Sendo assim, a inauguração beneficiará e muito a economia, não só local, mas de todo o país.

E então?

Agora que você conhece todos os detalhes na nova rota aérea Miami – Florianópolis, esperamos que aproveite essa novidade a favor das suas operações.

Esta é uma oportunidade vantajosa de conectar os negócios nacionais à América do Norte e outros destinos do mundo, uma vez que o destino faz parte das principais rotas de importação e exportação.

Contudo, uma operação de importação ou exportação bem-sucedida precisa de empresas especializadas em transporte aéreo.

Nós, da DC Logistics Brasil, temos experiência de mercado que reflete na relação de distância e tempo da sua logística internacional.

Nossa equipe contribui com suas atividades ao realizar embarques consolidados regulares, proporcionando o melhor transit time com o menor custo, e agilizando os trâmites alfandegários.

Também temos expertise para atender ao transporte de grandes volumes, por meio do estreito relacionamento com as companhias aéreas. Assim, todas as necessidades da negociação são supridas, até mesmo em casos de cargas grandes.

E, com um follow up claro e objetivo, conseguimos compreender e entregar cada detalhe que você precisa para a movimentação aérea. Vale ressaltar que contamos com um tecnológico tracking system, follow up disponibilizado na internet para acesso em qualquer ponto a qualquer hora.

Desta forma, entregamos soluções de alta performance para suas necessidades de movimentação aérea, com gestão de grande eficiência. Se você quer realizar essa rota com qualidade e eficácia, entre em contato conosco e solicite uma cotação de frete!

Confira alguns detalhes sobre a nova rota aérea entre Florianópolis e Miami!

 

FONTES:
In Cargo News – http://incargonews.com/pt/latam-cargo-inaugura-sua-nova-rota-cargueira-miami-florianopolis-tornando-se-a-unica-companhia-aerea-a-oferecer-um-servico-direto-e-permanente-da-america-do-norte-para-a-regiao-sul-do-brasi-2/#.X60hVshKjIV
Aviação Brasil – https://aviacaobrasil.com.br/floripa-airport-e-latam-cargo-brasil-inauguram-a-rota-miami-florianopolis/
Floripa Airport – https://floripa-airport.com/noticias/terminal-internacional-de-cargas-de-florianopolis-bate-recorde-historico-em-setembro.html
Infraero – http://www4.infraero.gov.br/media/810507/movimento-rede-teca-janeiro-a-setembro_2020.pdf

 

 

 

 

 

Você sabe como é feito o cálculo de cubagem no modal aéreo?

Você sabe como é feito o cálculo de cubagem no modal aéreo?

O termo cubagem é bastante usado no setor logístico, para definir valores de volumes específicos de cargas. O cálculo de cubagem é fundamental para saber qual a melhor forma de transporte de acordo com o tipo de mercadoria. 

Neste sentido, existe a cubagem aérea, que possui processo similar aos demais meios de transporte, com exceção de algumas especificidades. A principal função deste procedimento é conferir o peso em relação ao volume que a mercadoria a ser transportada ocupará na área de carga do avião.

Por meio do cálculo de cubagem é possível chegar a um valor justo em termos de frete. Até porque, algumas encomendas podem ocupar pouco espaço, mas terem um peso substancial (carga densa), ou ao contrário (carga volumosa).

Continue a leitura para entender qual é a fórmula utilizada para indicar a relação entre o volume e o peso de encomendas no modal aéreo!

O que é e para que serve o cálculo de cubagem?

De forma simples e direta, a cubagem é uma grandeza que relaciona a massa e o volume das cargas, com o objetivo de otimizar o transporte. 

Logo, o cálculo de cubagem apropriado torna possível a utilização do maior espaço possível destinado à carga que não ultrapasse a capacidade de peso do veículo.  Além de evitar que ele não saia muito pesado de sua origem com um pequeno volume ocupado.

A fim de entender melhor para que serve o cálculo de cubagem, visualize o seguinte: uma carga de um material muito leve, que ocupa um grande volume no meio de transporte. 

Isso quer dizer que este tipo de carga, mesmo tendo um peso abaixo da capacidade máxima, precisaria de uma viagem exclusiva. Por isso o fator de cubagem é ideal para uma cobrança mais justa pelos serviços prestados.

Ou seja, essa otimização do transporte que o cálculo de cubagem possibilita é vantajoso tanto para quem transporta, como para o cliente – que irá pagar um custo mais justo de acordo com o serviço solicitado.

Cálculo da cubagem aérea

Para calcular a cubagem em transporte aéreo, o procedimento é simples e muito similar à como é calculado em outros meios de transporte.

As dimensões de altura, largura e comprimento da caixa com a mercadoria devem ser multiplicadas para se obter o seu volume. Este será associado ainda a um fator de cubagem – constante estabelecida para cada meio de transporte.

Os fatores considerados para o cálculo de cobrança de frete são:

  • Peso Bruto: peso da carga + embalagem (Peso real da carga mais o peso da embalagem)
  • Peso Cubado: Volume, peso e espaço (Relação entre o volume, peso da carga e o espaço que ele irá ocupar dentro da aeronave)
  • Peso Taxado: será considerado o que for maior entre o peso bruto e o peso cubado.

O maior deles será usado como base de cálculo pelas companhias aéreas.

Entendendo mais com as fórmulas

Então, para realizar o cálculo, consideram-se as dimensões do produto em comprimento, largura e altura, e também fator cubagem em uma operação de modal aéreo.

No caso de ter mais de uma carga com as mesmas características de tamanho e peso, basta multiplicar a quantidade de caixas pelo peso cubado:

PESO CUBADO = QUANTIDADE DE CAIXAS x [ALTURA (m) x LARGURA (m) x COMPRIMENTO (m)] x 166,667 (FATOR DE CUBAGEM)

Exemplo: Uma empresa precisa transportar 80 caixas de 0,1 m x 0,1 m x 0,1 m, cada uma com 1 kg, o cálculo da cubagem será:

PESO CUBADO = 80 x [0,1 x 0,1 x 0,1] x 166,667 = 13,333 kg

Assim, apesar da carga total ser de 80 kg, na cubagem aérea seria equivalente a 13,333 kg de carga.

Geralmente as operações aéreas de carga contam com pacotes e caixas menores, se tratando de medidas em centímetros. Por isso é feita uma transformação no fator de cubagem, de quilos para metros cúbicos.

Sabemos que pelo cálculo da cubagem aérea, 166,667 kg correspondem a 1 metro cúbico, ou seja, basta uma regra de três para saber que 1 kg é equivalente a 0,006 metros cúbicos, ou 6000 centímetros cúbicos.

Então, o cálculo de cubagem no modal aéreo também pode ser feito:

PESO CUBADO = QUANTIDADE DE CAIXAS X [ALTURA (CM) X LARGURA (CM) X COMPRIMENTO (CM)] / 6.000

Seguindo o exemplo anterior: será transportado 80 caixas de 10 cm x 10 cm x 10 cm cada uma com 1 kg, assim sendo:

PESO CUBADO = 80 x 10 x 10 x 10/ 6000 = 13,333 kg

Isso prova que em ambas as unidades de medida, a conversão chega no mesmo resultado! 

Neste artigo esclarecemos o que é o cálculo de cubagem, para que ele serve e como pode ser feito no modal aéreo. Se você ficou com alguma dúvida sobre o assunto ou quer realizar uma cotação de frete, clique abaixo e entre em contato conosco!

Cotação de frete para painéis solares

DC Logistics Brasil transporta carga grande e sigilosa em Antonov 124

No dia 10 de maio de 2019, ao realizar sua primeira carga projeto com uma aeronave Antonov 124, a DC Logistics Brasil deu mais um passo importante para reafirmar a sua posição de destaque no segmento de transportes aéreos e logístico em geral! Desde lá, outras duas novas operações foram realizadas para o mesmo destino. Ambas com o mesmo o mesmo agente de carga no destino, saindo de Viracopos. As três vezes que o cargueiro Antonov foi operado pelo aeroporto de Viracopos esse ano, foi através da DC Logistics Brasil.

O cargueiro, conhecido por ser o 2º maior modelo de avião do mundo, foi utilizado em uma operação sigilosa de grande porte. Ela foi feita em parceria com o agente Tudor, do Reino Unido, país a que o carregamento foi destinado.

A seguir, confira os principais detalhes desse importante serviço. Entenda como foi o planejamento realizado por nossa equipe, a abrangência desse processo logístico, os principais detalhes da aeronave Antonov 124 e os diferenciais dos serviços aéreos da DC Logistics Brasil.

Saiba mais sobre a operação realizada com a aeronave Antonov 124

Incumbida de realizar mais uma movimentação logística de alta complexidade, a DC Logistics trouxe até o Brasil o modelo de avião Antonov 124. A aeronave foi carregada na cidade de Campinas, em São Paulo, e de lá partiu até o seu destino.

A aeronave saiu do aeroporto de Viracopos, que possui infraestrutura adequada para comportá-la, com rota para o Reino Unido. Consigo levava  uma carga especial de 4 metros de altura e peso de 40 toneladas. Mais que considerar todas as questões que envolvem uma movimentação desse porte entre dois países, outros aspectos importantes tiveram que ser previstos e devidamente providenciados no trajeto. Um exemplo é a parada planejada para reposição de combustível em Cabo Verde.

Desde o manuseio da planta do cliente até a entrega da carga, a execução teve duração de 6 dias. Ela exigiu uma abordagem extremamente minuciosa, a fim de atender a rigorosos padrões de qualidade e exigências legais estabelecidas em padrão internacional.

Mais que todo o processo executivo que contou com o uso do avião Antonov 124 em si, foram demandados ainda 90 dias de planejamento, marcados por diversas conferências e reuniões entre todos os especialistas envolvidos.

Entenda a abrangência do processo logístico elaborado por nossa equipe

Nessa operação do Antonov 124, a DC Logistics foi responsável por toda a coordenação logística em solo brasileiro. O time de profissionais incumbidos para essa missão formou uma equipe multidisciplinar que, ao todo, somou cerca de 20 pessoas.

Entre as parcerias firmadas nesse processo, a empresa atuou na contratação da transportadora responsável pelo avião. Também buscou, mais uma vez, pelos melhores fornecedores de equipamentos, que incluiram survivor, guindaste e material especial para amarração.

Para que cada etapa da movimentação saísse conforme o esperado, ainda foi estabelecido um processo de monitoramento completo. Foram consideradas a certificação e a inspeção completa dos materiais envolvidos. Considerando a sensibilidade, o alto valor e também o grau de sigilo da carga, todo um método de embarque foi elaborado pela equipe. Todos os procedimentos buscaram garantir o padrão esperado de segurança e qualidade exigido para uma situação logística tão específica quanto essa.

Nesse método, é previsto todo o planejamento para o transporte, que vislumbra as datas e os horários de cada ocorrência. Além de eventuais problemas que possam ocorrer ao longo do caminho, bem como as suas soluções mais eficientes.

Conheça o porte e as aplicações da Antonov 124

Quando empresas optam por um serviço de transporte aéreo, na grande maioria das vezes é por conta da velocidade de entrega. Nesse caso o prazo acaba sendo menor do que no transporte marítimo.

Mais que realizar movimentações urgentes, porém, o uso do Antonov 124 é específico para demandas de cargas especiais. Essas que não possam ser devidamente acomodadas em outros modelos de avião sem o devido tamanho e preparo. Por conta do seu alto custo operacional, o Antonov é indicado apenas para itens de extremo valor agregado.

Para se ter uma ideia do porte da aeronave, ela foi a maior do mundo durante muitos anos, até a chegada do modelo An-225. Este foi desenvolvido com o intuito de transportar nada menos que o ônibus espacial soviético Buran. Além de ser o segundo maior avião cargueiro do mundo, o Antonov 124 também é o segundo maior produzido em massa, perdendo apenas para o modelo A380 da Airbus. Sua fabricação atualmente está em hiato, mas sua volta é prevista para o ano de 2030.

Entre as características que mais chamam atenção na aeronave, está o payload de 120 toneladas e alcance de 4500km nessa capacidade. Suas asas com 628 m² cada, seu característico nariz, que funciona como a porta de proa do compartimento de carga. Além das 24 rodas, que permitem operações de pouso também em grama, terra e neve, desde que os devidos preparos sejam feitos.

Descubra o que torna a DC Logistics Brasil referência em transportes aéreos

O uso de um modelo de carga tão relevante e robusto como o Antonov 124 demonstra como a DC Logistics Brasil é um operador logístico completo. A empresa é capaz de sempre atender as demandas e sanar as principais necessidades de seus clientes.

Sempre com atenção às principais regras, normas e padrões de qualidade do setor, a empresa atua com uma equipe de profissionais altamente qualificados e serviços de ponta. Todos reconhecidos por meio de títulos relevantes no segmento, como é o caso do Prêmio Infraero em Eficiência Logística

Como se não bastasse o alto padrão de qualidade agregado nos serviços, a DC ainda dispõe de um alto volume de cargas e boa quantidade de consolidadas, que garante um preço sempre competitivo aos seus clientes.

E você, já conhecia o imponente avião Antonov 124? Gostou de conhecer os principais detalhes sobre a aeronave e todos os desafios enfrentados pela DC Logistics Brasil para trazê-la até o Brasil?  Quer ficar por dentro de ainda mais novidades sobre o assunto? Então continue acompanhando os artigos do blog!

Aeroportos de SC entre os 20 com maior potencial do país

Santa Catarina possui dois dos 20 aeroportos regionais brasileiros com maior potencial de desenvolvimento. Conforme estudo realizado pela consultoria Urban Systems, os terminais aeroportuários de Joinville e Chapecó figuram na lista dos que mais têm condições de induzir desenvolvimento no país.

Atrás apenas dos aeroportos regionais de São José dos Campos (SP) e Ribeirão Preto (SP), o terminal de Joinville atingiu 50,09 pontos no ranking da consultoria. O aeroporto de Chapecó ficou com 37,46. A pontuação varia de zero a 100.
Na terceira colocação no ranking nacional, o terminal de Joinville tem o maior potencial para desenvolvimento na região sul do país. Já o aeroporto localizado no extremo-oeste do estado, em Chapecó, está na 19ª posição.
O estudo leva em consideração a infraestrutura e a localização dos aeroportos, potencial de transporte de passageiros e de cargas e o potencial de desenvolvimento imobiliário e geração de receitas acessórias.
A região sudeste tem o maior número de aeroportos regionais com potencial para o desenvolvimento, com 11 terminais. A região sul vem logo em seguida, com sete aeroportos regionais.
Fonte: Noticenter