Posts

Confira os 20 produtos brasileiros mais exportados em 2020!

Confira os 20 produtos brasileiros mais exportados em 2020!

O ranking mais esperado de 2020 está aqui! Chegou a hora de acompanharmos quais foram os produtos brasileiros mais exportados no decorrer do ano.

No ano passado, compartilhamos quais foram os produtos mais importados e exportados pelo Brasil em 2019 e seus impactos no comércio exterior nacional.

Então, dando continuidade ao balanço, trazemos aqui os números mais relevantes. Assim, é possível visualizar melhor a realidade do país nos últimos 365 dias, até mesmo identificando as mudanças que aconteceram frente ao cenário desafiador que vivemos, devido a pandemia.

 Você tem um palpite sobre quais foram os produtos brasileiros mais exportados em 2020? Continue a leitura!

O que mudou entre os produtos brasileiros mais exportados de 2019 para 2020?

No ano passado, conforme divulgado no blog, o Brasil exportou entre janeiro e outubro o total de US$ 185,54 bilhões. Os dados foram compartilhados pelo levantamento do Ministério da Economia, Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

Os dez produtos brasileiros mais exportados foram, nesta ordem: soja, petróleo, minério de ferro, celulose, milho, carne de frango, produtos manufaturados, carne bovina, farelo de soja e açúcar.

Em 2020, de acordo com dados divulgados pela Agência Brasil em outubro, as exportações nacionais somaram US$ 156,780 bilhões. Este número apresenta retração de 7% em comparação ao mesmo período de 2019.

Uma justificativa para estes resultados seriam as vendas da indústria de transformação, que caíram US$ 108,01 milhões. Por outro lado, as vendas da indústria extrativa aumentaram US$ 19,65 milhões, e as vendas referentes a agropecuária subiram US$ 5,38 milhões. O café não torrado e o minério de ferro seriam os produtos responsáveis por estes aumentos.

Sendo assim, é estimado um menor volume de comércio em 2020. Esta seria uma consequência dos impactos da pandemia do coronavírus. Ainda assim, o Ministério da Economia estima um saldo positivo de superávit de US$ 55 bilhões.

20 produtos brasileiros mais exportados em 2020

Apresentamos aqui os dados compartilhados pelo Comex Vix, levantamento do Ministério da Economia, sobre os principais resultados do comércio exterior brasileiro. Acompanhe a listagem dos produtos brasileiros mais exportados do Brasil entre janeiro e novembro de 2020.

1° Soja

Confira os 20 produtos brasileiros mais exportados em 2020!

Participação: 15% – Valor FOB: US$ 28,5 bilhões

O Brasil continua como segundo maior produtor de soja do mundo, registrando produtividade média de 3.362 kg por hectare, segundo a Embrapa.

2° Minério de ferro e concentrados

Participação: 12% – Valor FOB: US$ 22,7 bilhões

Entre as diversas riquezas do país está o minério de ferro. Desta forma, o Brasil abriga a quinta maior reserva do mundo, equivalente a 17 bilhões de toneladas, de acordo com dados do Educação UOL.

3° Óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos crus

Participação: 9,4% – Valor FOB: US$ 18 bilhões

Além disso, outro destaque do setor extrativista são os óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus, pois são essenciais ao influenciarem os resultados do comércio exterior brasileiro e fabricações de muitos produtos da indústria.

4° Açúcares e melaços

Confira os 20 produtos brasileiros mais exportados em 2020!

Participação: 4,2% – Valor FOB: US$ 8 bilhões

O mercado do biocombustível sofreu com uma forte queda nas cotações e no consumo durante a pandemia, conforme informado pela Revista Globo Rural. Mas em agosto, a exportação do açúcar cresceu 118% em comparação a 2019, o que justifica sua importância mundial no setor sucroalcooleiro.

5° Carne bovina

Participação: 3,6% – Valor FOB: US$ 6,8 bilhões

De acordo com informações da Embrapa, a proteína nacional alimenta o mundo todo: equivale a 3% das exportações brasileiras e proporciona faturamento de 6 bilhões de reais.

6° Farelos de soja e outros alimentos para animais

Participação: 3,1% – Valor FOB: US$ 5,9 bilhões

Além dos bons resultados das exportações de carne, o Brasil é um importante produtor desta commodity utilizada para fabricação de rações no mundo todo, conforme observado pelo Sindiracoes.

7° Celulose

Participação: 2,9% – Valor FOB: US$ 5,6 bilhões

Atrás somente dos EUA, o Brasil está entre os principais exportadores de celulose, principalmente devido aos envios à China, como explica o Canal Agro do Estadão.

8° Demais produtos da Indústria de Transformação

Participação: 2,7% – Valor FOB: US$ 5,2 bilhões

O portal UOL Economia observa que as exportações referentes a indústria da transformação (matérias-primas de origem vegetal ou animal que será usada em produto final) já vinham registrando quedas antes da pandemia.

9° Carnes de aves

Confira os 20 produtos brasileiros mais exportados em 2020!

Participação: 2,6% – Valor FOB: US$5,1 bilhões

Apesar do cenário atual, segundo a ABPA, as exportações brasileiras de carne de frango totalizaram um volume de 5,6% a mais que o registrado em novembro do ano de 2019, posicionando o país entre os maiores produtores do mundo.

10° Óleos combustíveis de petróleo

Participação: 2,3% – Valor FOB: US$ 4,4 bilhões

Somente em maio desse ano, conforme divulgado pela Agência Brasil, a Petrobras exportou 1,11 milhão de toneladas de óleo combustível. Segundo a empresa, o recorde reflete diversas ações. É provável que, conforme explicado, isso reflita a diversificação dos destinos do produto. Para que, com isso, tenha ocorrido a ampliação da participação no mercado externo.

11° Ouro – não monetário

Participação: 2,3% – Valor FOB: US$ 4,4 bilhões

Hoje, conforme justifica o Ibram, o Brasil é o 13º maior produtor de Ouro. De tal forma que acumula produção de 66 toneladas. Além disso, este é o segundo mais importante mineral de exportação.

12° Ferro-gusa, spiegel, ferro-esponja, grânulos, pó de ferro ou aço e ferro-ligas

Participação: 1,8 % – Valor FOB: US$ 3,4 bilhões

Como resultado dos avanços, a indústria metal-mecânica mundial demanda elevados volumes destes insumos. Entretanto, apesar de pequena participação, os resultados impactam diretamente o comércio exterior nacional.

13° Produtos semiacabados, lingotes e outras formas primárias de ferro ou aço

Participação: 1,5% – Valor FOB: US$ 3 bilhões

Aqui também é apresentada a pequena, porém não menos importante participação da exportação destes produtos referência na siderurgia e metalurgia.

14° Veículos automóveis de passageiros

 Participação: 1,2% – Valor FOB: US$ 2,4 bilhões

De acordo com levantamento do G1, as principais montadoras do Brasil exportam principalmente para a América Latina. Sendo assim, os roteiros incluem países como Argentina, Paraguai e Uruguai, e ainda muitos países da África, por exemplo.

15° Alumina

Participação: 1,1% – Valor FOB: US$ 2,1 bilhões

Atualmente, o Brasil é o 15º produtor de alumínio primário – alumina. Como resultado, as exportações de metais, incluindo, bauxita e alumina representaram em média 2,5% das vendas externas brasileiras, segundo dados da Abal.

16° Carne suína

Participação: 1% – Valor FOB: US$ 1,95 bilhão

Quarto maior produtor da proteína do mundo, o país é responsável por 3,88% da produção global, exportando principalmente para abastecimento do mercado chinês, conforme publicado pela Suinocultura Brasil.

17° Aeronaves e outros equipamentos

Confira os 20 produtos brasileiros mais exportados em 2020!

 

 

 

Participação: 0,97% – Valor FOB: US$ 1,86 bilhão

Apesar das mudanças no cenário da aviação, o Brasil segue como um dos maiores exportadores de soluções para a fabricação de aeronaves. Dessa forma, somente no primeiro trimestre, isso representou US$ 489,75 milhões, conforme dados do portal FazComex.

18° Partes e acessórios de veículos automotivos

Participação: 0,89% – Valor FOB: US$ 1,7 bilhão

Assim como se destaca como exportador de automóveis, as peças e acessórios nacionais também são bastante requisitadas no mercado internacional.

19° Motores de pistão

Participação: 0,80% – Valor FOB: US$ 1,53 bilhão

Dentre os bens de maior valor agregado, pistões e motores também apresentam uma pequena representatividade nas exportações brasileiras.

20° Sucos de frutas ou de vegetais

Participação: 0,17% – Valor FOB: US$ 1,45 bilhão

O Brasil ainda é responsável por “matar a sede” de suco de frutas do mundo, principalmente de laranja, sendo o maior exportador deste produto, lembra a BBC Brasil.

O que podemos interpretar sobre as exportações de 2020?

Para começar, o levantamento posiciona a soja como campeã entre os produtos brasileiros mais exportados. E a safra superou as expectativas, pois alcançou o recorde de 127 milhões de toneladas. Portanto, isso deve refletir em mais exportações em 2021, conforme previsto pela Abiove (Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais).

Em seguida, conforme apresentado, o minério de ferro e concentrados também seguiu ocupando a segunda posição do ranking. Desta forma, o setor registrou bons resultados, mesmo no cenário pandêmico. De fato, em junho, por exemplo, as exportações alcançaram 30,5 milhões de toneladas.

E os embarques estão relacionados a expansão das atividades industriais da China, que é a maior importadora do produto no mundo. Falando no país, vale ressaltar que este também é o responsável pela mudança no terceiro lugar, agora ocupado por óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos crus.

Assim, o Brasil tornou-se o terceiro maior fornecedor do insumo da China, exportando volume superior a 4,49 milhões de toneladas para as refinarias do país asiático.

Além da China, as produções nacionais são enviadas com expressividade para Estados Unidos, Argentina, Países Baixos (Holanda), Espanha, Japão, Canadá, Alemanha, Chile e México, nesta ordem.

Com isso, o país se posiciona como o 27° entre os maiores exportadores do globo, segundo o relatório da OMC (Organização Mundial do Comércio).

Agora, para manter os avanços da exportação brasileira, são necessárias cada vez mais soluções logísticas de confiança. Afinal, elas refletem na qualidade das entregas do comércio exterior.

Portanto, para isso, você pode sempre contar com a nossa equipe. Certamente estamos à disposição para esclarecer todas as suas dúvidas sobre o assunto. Quer saber mais? Entre em contato e solicite uma cotação sem compromisso.

Cotação DC Logistics Brasil

 

FONTES:

Blog DC Logistics Brasil https://dclogisticsbrasil.com/confira-os-10-produtos-mais-importados-e-exportados-pelo-brasil-em-2019/

Agência Brasil – https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2020-10/balanca-comercial-registra-superavit-de-us-616-bi-em-setembro

Comex Vixhttp://comexstat.mdic.gov.br/pt/comex-vis

Bol https://www.bol.uol.com.br/noticias/2020/12/14/abiove-revisa-safra-de-soja-2020-do-brasil-para-127-mi-t-e-ve-exportacao-recorde.htm

UOL Economiahttps://economia.uol.com.br/noticias/reuters/2020/07/01/exportacao-de-minerio-de-ferro-do-brasil-tem-recuperacao-em-junho-e-supera-30-mi-t.htm

Santander Empresas – https://santandernegocioseempresas.com.br/app/internacionalizacao/produtos-mais-exportados-pelo-brasil

 

 

Navegação de cabotagem: descubra por que ela pode ser uma ótima solução logística!

Navegação de cabotagem: descubra por que ela pode ser uma ótima solução logística!

Graças à geografia brasileira, a navegação de cabotagem teve um alto crescimento no passado e foi até mesmo uma das primeiras atividades econômicas do país.

Desde a época da colonização, esse sistema vem sendo uma alternativa mais econômica para resolver questões logísticas. 

Não é só no bolso que a navegação de cabotagem traz grandes vantagens. A seguir, saiba mais sobre essa modalidade, seu histórico, principais benefícios e eventuais contraindicações! 

Entenda o que é navegação de cabotagem

O termo “cabotagem” se refere a um modo de navegação realizada entre “cabos”, sem perder a terra à vista. Portanto, entende-se que a navegação de cabotagem ocorre entre portos de um mesmo país.

Considerando isso, é fácil entender seu valor para o território brasileiro, graças a sua grande extensão de costa navegável. 

Outro ponto a ser salientado é que a navegação de cabotagem pode ocorrer no mar (o que é mais comum), mas também em rios ou lagos.

Outra grande vantagem da cabotagem no Brasil é que, além da sua costa navegável, muitas das principais cidades e polos industriais se concentram no litoral, ou mesmo em localidades próximas a ele.

Se compararmos a navegação de cabotagem a outras modalidades de transporte, como o rodoviário e ferroviário, por exemplo, também é possível detectar outros benefícios. Um deles é o baixo impacto ambiental.

No próximo item, saiba mais sobre o histórico desse tipo de navegação no país e, em seguida, fique por dentro das suas principais vantagens! 

Confira o histórico da cabotagem no Brasil

Como mencionamos anteriormente, além das características geográficas, o histórico de colonização no Brasil foi determinante para a prática da navegação de cabotagem.

Tudo começou com a chegada dos portugueses, no início do século XVI. A partir daí a cabotagem experimentou um grande crescimento até o início do século XX. 

Neste período os meios aquaviários representavam a única possibilidade de transporte para cargas a longas distâncias.

As atividades comerciais dependiam muito da cabotagem, que desempenhou um papel bem importante para o crescimento econômico. 

Por outro lado, a indústria naval até o início do século XIX não oferecia um grande desenvolvimento em infraestrutura.

Apenas a partir de 1808, os portos começaram a apresentar melhores condições para receber grandes embarcações. Isso se deu muito pela vinda da Família Real, mas também graças à promulgação do Decreto de Abertura dos Portos às Nações Amigas.

Depois disso, o grande ápice da indústria naval brasileira foi entre os anos de 1950 e a década de 1970. Políticas governamentais e linhas de financiamento foram as grandes responsáveis por esse grande boom.

O Brasil chegou a ser considerado a segunda potência mundial na indústria naval, gerando mais de 39 mil empregos diretos no fim dos anos 1970. 

Atualmente, o sistema de transporte por cabotagem teve um crescimento nos últimos anos, mas não se compara ainda à força do modal rodoviário, que ainda é responsável por 65% das cargas, segundo o portal do BNDES

A participação relativa da cabotagem, hoje, representa menos de 11% do total, ainda segundo a fonte supracitada. Isso significa que há muito terreno para crescimento. 

Presente desde a colonização brasileira, a cabotagem foi de suma importância durante séculos. 

Embora tenha perdido um pouco dessa relevância com o passar dos anos, a navegação de cabotagem é o meio de movimentação de carga mais competitivo e com menor número de acidentes. 

Cargas transportadas em cabotagem

Entre os principais produtos destacam-se os combustíveis e óleos minerais, a bauxita e os contêineres. Foram 157 milhões de toneladas transportadas em 2017.

  • 75,3% Líquido/Gasoso
  • 13,6% Granel/Sólido
  • 7,6% Contêiner
  • 3,5% Carga geral.

Veja quais são as principais vantagens do uso da cabotagem

Veja quais são as principais vantagens do uso da cabotagem

Além de ser um sistema que oferece menos riscos, com taxas menores de acidentes, a navegação de cabotagem também é muito menos poluente em relação a outras modalidades. Veja mais detalhes sobre esse e outros benefícios de utilizá-la: 

Preserve o meio ambiente

Impacto em emissão de dióxido de carbonoA cabotagem garante um menor impacto ambiental no que diz respeito à poluição, o que representa um grande benefício para as empresas e ao planeta como um todo. 

Adotar soluções “verdes” e sustentáveis melhoram a imagem de qualquer negócio, além de ser uma ação responsável.

Garanta mais economia

A cabotagem também é mais barata. A economia gerada pela utilização dessa modalidade pode chegar até 30% se compararmos com o transporte rodoviário, como aponta uma matéria especial do blog Conexos sobre o tema! 

Assim, é possível oferecer serviços logísticos mais baratos para os clientes, aumentando ao mesmo tempo a lucratividade e a competitividade nesse disputado mercado. 

Tenha menores riscos de furtos, roubos e extravios

A segurança da mercadoria também é beneficiada por essa modalidade. 

É de conhecimento geral que furtos e roubos de carga em estradas alcançam níveis preocupantes, gerando prejuízos e muita tensão em quem pega a estrada e vive desse ofício.

Naturalmente, cada vez mais as empresas buscam alternativas para diminuir essas estatísticas. Uma dessas alternativas é a cabotagem, onde essas ocorrências são muito mais raras, uma vez que o modelo não sofre com a ação direta de criminosos.

Além de evitar os prejuízos e poupar a paz de espírito dos profissionais envolvidos, isso também garante uma grande economia em sistemas de segurança. Esse dinheiro então pode ser melhor aplicado em processos, estratégias e tecnologias.

Transporte volumes maiores

Para compreender esse ponto, basta visualizar a capacidade de transporte de um navio. Trata-se de um espaço muito maior do que encontramos no modelo rodoviário. 

Sendo assim, é possível transportar mais cargas de uma só vez, economizando em envio de remessas.

Agora que você já sabe quais são os benefícios da navegação de cabotagem, no item a seguir, fique por dentro de suas eventuais desvantagens e saiba como evitá-las! 

Saiba quais são as desvantagens dessa modalidade

Apesar de ser extremamente vantajosa em muitos pontos, a navegação de cabotagem também conta com alguns desafios que precisam ser superados. Pontuais, esses obstáculos podem ser contornados com algumas estratégias! 

Uma consequência comum no sistema de cabotagem são prazos de entrega mais longos. Isso ocorre principalmente pela legislação e burocracia envolvida na parte do desembaraço e liberação de cargas.

Portanto, cargas que exigem alguma urgência não se beneficiam muito com a modalidade. 

Outro fator burocrático envolve a embarcação: para utilizar o sistema de transporte, é preciso contar apenas com navios que possuam bandeira brasileira. Esqueça, portanto, o apoio de empresas com navios estrangeiros. 

Esses e outros aspectos demonstram que a navegação de cabotagem exige uma boa estratégia para operar da melhor forma possível. Uma vez considerados estes pontos, ela se torna uma alternativa extremamente vantajosa em diversos aspectos. 

Se ficou com alguma dúvida sobre o assunto, clique abaixo e entre em contato conosco!

Tire suas dúvidas