tecnologia cloud computing

Saiba como funciona a tecnologia cloud computing na logística

A possibilidade de se trabalhar em qualquer lugar do mundo é uma realidade no setor logístico. As informações, dados e documentos podem ser acessados em alguns cliques e de maneira totalmente segura. A tecnologia cloud computing traz vantagens competitivas.

Quem acompanha os avanços do mundo moderno sabe muito bem que poupar custos, tornar os processos mais confiáveis e ter um gerenciamento estratégico faz todo sentido para que se tenha uma gestão eficiente na logística.

Se você atua no Supply Chain não pode deixar de entender o que faz esse tipo de tecnologia, que se enquadra no conceito de Logística 4.0. Afinal, os dados sincronizados podem oferecer informações preciosas para as melhores tomadas de decisões.

O que é a Logística 4.0

Recentemente, fizemos um conteúdo que menciona o que é a Logística 4.0. Nele, vimos que a computação em nuvem ou tecnologia cloud computing é um dos melhores exemplos dentro do setor logístico no mundo todo.

Relembre esse breve resumo que trouxemos: “É um tipo de tecnologia que fez com que os dados de uma empresa pudessem ser virtualizados, isto é, levados para um ambiente seguro. Tudo acontece através do envio, recebimento e gerenciamento de computadores”.

Agora, a ideia é mencionar com mais detalhes o que é a computação em nuvem. Ela impacta positivamente todo o mercado, permitindo a análise de dados, a redução de perdas, de custos e as tomadas de decisões mais estratégicas.

O que é sistema cloud computing

Cloud computing é um termo que quando traduzido nos traz o conceito de “computação em nuvem”. Ele entrega um serviço ao usuário a partir da internet. E os dados online são os grandes diferenciais dessa tecnologia porque permite acessos e atividades em tempo real.

A inovação faz com que os contatos ou visualizações aconteçam através de dispositivos móveis, tais quais os smartphones. Logo, permite um negócio muito mais flexível, mais móvel e mais atualizado. Aliás, o tempo todo atualizado.

Atualmente, são várias as formas de oferecer os serviços em nuvem: SaaS (Software como Serviço), Paas (Plataforma como Serviço), Iaas (Infraestrutura como Serviço), Daas (Banco de Dados como Serviço) e o Taas (Ensaio como Serviço).

Quais os serviços de cloud computing

A partir dos formatos de cloud computing, os clientes podem ter acesso a vários serviços. 

Backup automático

O servidor na nuvem conta com um sistema de backup automático. Logo, arquivar cópias de documentos e pastas de modo seguro. Eles podem ser compartilhados em rede ou via web. Também é possível compartilhar os itens com o computador da empresa ou do gestor.

Recuperação de dados

Além da segurança de manter os dados salvos, também existe o serviço de recuperar pastas e arquivos de modo rápido. É importante para quem precisa lidar com orçamentos, propostas e simulações cotidianamente, como acontece nos contratos e cotações logísticas.

Segurança de informações

Outro serviço tem ligação com a criptografia. Os servidores contam com recursos que evitam e inibem a ação de hackers. Com isso, a interceptação de dados não acontece, garantindo que dados sigilosos ou privativos se mantenham seguros.

Saiba mais sobre o cloud computing

A área de Suplly Chain é totalmente estratégica. E o cloud computing tem muitos benefícios, como a integração de informações, suporte para setores, melhora da comunicação, gerenciamento de cargas, etc.

Ao oferecer serviços de mais qualidade, as empresas podem satisfazer o público consumidor. Entre em contato e descubra mais.

Saiba o que é o seguro internacional de cargas e conheça as vantagens

Os gestores de logística que atuam no comércio exterior sabem que um dos maiores entraves do setor tem a ver com a proteção das mercadorias. Por isso, o seguro internacional de cargas, que não é obrigatório, tem muita importância para que as empresas tenham tranquilidade no negócio.

Para entender tudo sobre esse tipo de seguro, leia os seguintes tópicos:

  • O que é seguro internacional de carga
  • Por que fazer um seguro internacional de cargas
  • Os tipos de seguros de transporte de cargas internacional
  • Os seguros obrigatórios para o transporte internacional
  • Quanto custa um seguro internacional de carga
  • Como contratar o seguro internacional de carga

O que é seguro internacional de cargas

Na melhor definição atual, “o seguro internacional de cargas é o serviço contratado por quem importa ou exporta para proteção da carga de qualquer sinistro que possa acontecer”.

A explicação torna mais fácil entender os dois lados desse negócio:

  • Para o importador – uma forma de ter a certeza de que a compra não vai ter prejuízo.
  • Para quem exporta – a opção de um serviço adicional oferecido ao cliente.

Com base na frequência das operações logísticas, a empresa pode optar por duas modalidades na contratação do serviço. Assim, o avulso é para quem faz viagens isoladas e a apólice aberta é para companhias com mais de uma operação no mês.

As seguradoras são obrigadas a emitir uma apólice após contratação do serviço. A partir do que diz o Código Civil, o seguro é um documento obrigatório que isenta a necessidade de uma nota fiscal da seguradora.

Por que fazer um seguro internacional de cargas

A lista de benefícios para contratar esse tipo de seguro internacional é extensa. Por isso, trouxemos aqui alguns dos principais. Um deles é sobre garantir a estratégia de negócios da empresa, aumentando a segurança contra os riscos operacionais que podem acontecer.

O que é seguro internacional de cargas

No caso de danos à mercadoria, seja pelo manuseio, roubo, extravio ou acidentes, a empresa tem a preservação de garantias. Isso explica porque os gestores levam em conta essa medida para minimização dos riscos da operação.

Além da proteção, o seguro de cargas também é um diferencial competitivo porque dá mais valor ao transporte feito ao exterior. Ao passo que esse tipo de transparência aumenta a confiança da empresa logística no mercado.

Por último, o benefício financeiro. Ele permite que a contratação de seguros previna os maiores gastos que poderiam acontecer com os acontecimentos imprevisíveis. Por isso, alguns agentes chamam esse tipo de seguro de investimento.

Os tipos de seguros de transporte de cargas internacionais

O seguro internacional de cargas tem como principal finalidade garantir a proteção das mercadorias. Por consequência, envolve toda a segurança de toda a cadeia de suprimentos da empresa. Dependendo do produto, o tipo de seguro pode variar. 

Tanto é que cargas especiais, cargas perigosas e cargas perecíveis exigem mais cuidado durante os trajetos.

Cobertura Básica Ampla A

É uma cobertura que serve para qualquer dano de causa externa da mercadoria. Inclusive, o roubo da carga, além de avarias e desaparecimentos. É a mais completa de todos os tipos.

Cobertura Básica Restrita B

Agora uma opção que garante o prejuízo parcial ou a perda total da mercadoria que é decorrente de acidentes com o veículo de transporte. Mas, também de outras naturezas, como inundações e quedas de pedras. É um serviço que pode ter a adição da cobertura para os casos de roubos.

Cobertura Básica Restrita C

Essa é a cobertura mais restrita que existe para cargas porque cobre apenas os riscos de acidentes com os veículos que estão transportando. Ou seja, não cobre riscos de outras naturezas, como furto, roubos ou desaparecimento de mercadorias.

As coberturas extras nos seguros de cargas

Além desses três tipos de seguros de transporte internacional, os gestores podem contratar as coberturas adicionais, a partir da necessidade da empresa. Atualmente, existe uma grande variedade de serviços.

Por exemplo, os adicionais de frete, despesas, tributos, lucros esperados, embarques, transbordo, riscos de greves, riscos de guerra, prorrogação de prazo, benefícios internos, destruição, roubos, extravios, riscos de quebra e muito mais.

O que o seguro de cargas não cobre

Ao mesmo tempo que é possível adicionar coberturas, saiba que o seguro de cargas não garante determinados tipos de perdas, danos ou despesas. Assim, a seguradora fica isenta de indenização. 

A partir da SUSEP (Superintendência de Seguros Privados), o seguro não é coberto em casos de má conduta intencional do segurado, falta de mão de obra (greve, lock-out, tumulto, etc), reclamação com base na perda da viagem, rebeliões e atos de hostilidade.

Os seguros obrigatórios para o transporte internacional

Na introdução, vimos que esse seguro de carga não é obrigatório, certo? No entanto, existem os seguros que não são voltados para a carga em si, mas sim para os transportadores. Nesse caso, eles são obrigatórios. Temos um resumo de cada um deles.

O que é seguro internacional de cargas

RCTR-VI

O Seguro de Responsabilidade Civil do Transportador em Viagem Internacional é para transportadores rodoviários em viagens internacionais. Logo, serve para proteção de riscos e danos de mercadorias dos clientes.

RCA-C

O Seguro de Responsabilidade Civil do Transportador Aquaviário de Carga é obrigatório para transportes marítimos, fluviais e por lagos. Assim, ele faz a cobertura de danos e riscos que podem acontecer durante os percursos.

RCTA-C

O Seguro de Responsabilidade Civil Transportador Aéreo de Carga é para transportes aéreos. Por isso, é usado contra riscos ou danos de mercadorias de terceiros, clientes, durante os trajetos.

RCF-DC

O Seguro de Responsabilidade Civil Facultativa por Desaparecimento de Cargos é opcional para transportador rodoviário. Dessa forma, quem faz o transporte é indenizado no caso de perda de carga no caso de roubos ou desaparecimento de mercadorias.

RCTF-C

O Seguro de Responsabilidade Civil do Transportador Ferroviário é para transporte ferroviário nas eventualidades de danos materiais aos produtos.

RCTR-VI

Agora o Seguro de Responsabilidade Civil do Transportador Rodoviário de Viagens Internacionais, que é usado nos países do Mercosul. Logo, ele cobre riscos e acidentes apenas nesses países.

RCTR-C

O Seguro de Responsabilidade Civil do Transportador Rodoviário de Carga é obrigatório para esse tipo de transporte. Então, oferece garantias quando há danos aos bens.

Quanto custa um seguro internacional de cargas

Cada nova apólice que surge no mercado de seguros é única. O motivo é que a simulação é feita a partir da operação de cada cliente. Assim, o resultado leva em conta diversos aspectos individuais, como tipo de transporte, destino, as coberturas, período, etc.

O que se pode saber com antecedência é que existe a taxa Ad Valorem. Ela é cobrada a partir da tabela de fretes e representa uma parte do custo do seguro.

Quando se tem no estudo as apólices abertas, a conta é mais simples. Para tanto, os cálculos são feitos a partir da multiplicação do valor da carga (com base na nota fiscal) pela taxa do seguro definida em tabela estadual. 

Aliás, nessa soma deve-se incluir o Imposto sobre Operações Financeiras.

Um ponto importante é saber que em todo contrato com a seguradora devem estar as seguintes informações: valor do prêmio, franquia da apólice, verbas ou importâncias seguradas, prazo de vigência, lista de bens não compreendidos, limite máximo e riscos.

Como contratar o seguro internacional de cargas

O ideal a se fazer é procurar uma corretora especializada em seguro de carga internacional. Ao passo que os gestores e responsáveis devem elencar vários dados do transporte. O primeiro ponto tem relação com o tipo de mercadoria que será transportada. Depois, a natureza da carga, do modal escolhido e dos riscos. 

O que é seguro internacional de cargas

Uma curiosidade é saber que o transporte pode ser intermodal ou multimodal. Um exemplo é quando o produto vai dos caminhões até o embarque feito em navios. Assim, ele usa o frete rodoviário e o marítimo em um mesmo negócio.

A DC Logistics Brasil oferece assessoria completa para as empresas que estão em busca dos seguros de cargos. Para saber mais, entre em contato aqui.

O Incoterm do frete

Antes de terminar a leitura, vale a pena entender o que é Incoterm. Afinal, os termos da apólice serão baseados nele.

Eles são Termos Internacionais do Comércio, ao passo que a ideia é tornar todo procedimento internacional mais seguro e mais preciso.

A criação é de 1936 pela Câmara Internacional do Comércio (CCI). Assim, as normas melhoram a comunicação entre os países, evitando conflitos nas transações e chegando ao maior objetivo proposto.

Inclusive, nós temos um conteúdo em formato de eBook que menciona todas as mudanças dos Incoterms. Veja abaixo.

Saiba o que é Logística 4.0 – exemplos e benefícios

Uma produção em larga escala indica um grande volume de produtos. Logo, estoques cheios com itens disponíveis para a demanda. Essa era uma ideia que dava certo. Só que hoje, não mais. Essa mudança de visão e de cultura tem tudo a ver com a Logística 4.0.

Que pode ser vista como a melhor estratégia está na experiência do cliente e na fabricação apenas o que é necessário para o curto tempo.

 O conceito permite vantagens alinhadas ao faturamento da empresa, diminuindo o consumo de matéria-prima, os altos níveis de estoque e tornando os processos de entregas mais otimizados. Interessante, não achou?

Então, continue lendo este conteúdo para entender tudo sobre o assunto.

  • O que é Logística 4.0
  • Os exemplos de Logística 4.0
  • Qual é o impacto da Logística 4.0
  • Como implementar a Logística 4.0 na sua empresa

O que é Logística 4.0

O termo acompanha a 4ª Revolução Industrial ou Indústria 4.0. A principal característica da Logística 4.0 tem a ver com as mudanças nos processos, que aconteceram a partir de tecnologias, automatizações e da digitalização. É a busca constante por melhorias.

Na área logística, é possível ver um impacto positivo direto na redução de custos e na qualidade dos serviços prestados (especialmente, no armazenamento e na entrega). Com o uso de novos equipamentos, técnicas e modelos de trabalho, o ambiente se modernizou.

Tudo isso se tornou possível devida a adaptação da tecnologia da informação para o contexto industrial. Por isso, o uso de termos cada vez mais comuns nessa área, como sistemas de automação, robôs, IA (Inteligência Artificial) e IoT (Internet das Coisas).

Na prática, vale muito a pena observar que essa interconexão da tecnologia com a indústria impactou diretamente a gestão de supply chain. Com isso, é possível coletar e analisar os dados de maneira centralizada e em busca das melhores tomadas de decisões.

Os exemplos de Logística 4.0

A partir do conceito de Logística 4.0, podemos observar as novas tecnologias que estão mais presentes nessa área. Aliás, há uma ligação direta com a melhora dos processos operacionais e também com o ambiente corporativo e de liderança. Veja os exemplos.

Logística 4.0

A Internet das Coisas

É o que faz com que os aparelhos se conectem através da internet. É uma tecnologia mais simples de ser observada porque é muito comum para usos domésticos, além dos industriais. Um bom exemplo é o celular, que se conecta com veículos, máquinas, drones, etc.

A característica tem a ver com o envio e recebimento de dados digitais, onde a conexão pode ser usada em várias etapas do trabalho.

O Big Data

Muito importante para a cadeia industrial porque permite que grandes volumes de dados não estruturados sejam analisados de modo simples. A tecnologia torna possível relacionar essas informações, o que nos leva a uma visão mais ampla de todo fluxo produtivo do negócio.

É possível entender o Big Data através das suas vantagens. Por exemplo, a integração de volumes gerados em vários ambientes, aceita várias fontes de informação, faz tudo em um processamento rápido e altamente confiável. Logo, gera benefícios reais para os gestores.

A computação em nuvem (cloud computing) 

É um tipo de tecnologia que fez com que os dados de uma empresa pudessem ser virtualizados, isto é, levados para um ambiente seguro. Tudo acontece através do envio, do recebimento e do gerenciamento de computadores, sem a necessidade de espaço físico.

A computação em nuvem ou cloud computing traz vantagens também na mobilidade. Porque além da questão digital, também permite que os documentos ou arquivos sejam acessados de qualquer lugar e a qualquer momento.

O machine learning

Outro dos exemplos da Logística 4.0 é o machine learning. Ele é uma forma de fazer com que as máquinas possam analisar as informações recebidas. Como consequência, temos uma melhoria nos dados ligados à segurança ou estoque, por exemplo.

É como um software que permite que a inteligência artificial (IA) seja aplicada. Já a IA é uma tecnologia que torna possível que máquinas repliquem o comportamento humano. Inclusive, ela também tem o seu papel de importância no setor logístico.

A DC Logistics faz isso através da robotização de mensagens. Essa automatização permite que um diálogo pré-definido com o cliente aconteça. Ao passo que perguntas comuns podem ser respondidas brevemente, simulando uma conversa humana.

Qual é o impacto da Logística 4.0

Para uma empresa, o impacto dessas novas tecnologias que atuam na digitalização de processos pode ser visto através dos benefícios diretos no dia a dia. Aliás, esse é um conceito que se mostra como diferencial competitivo cada vez mais, proporcionando um ambiente moderno.

Logística 4.0

A análise de dados

Entender o que é Logística 4.0 nos leva ao principal objetivo dela, que é a melhoria na análise de dados. Há bastante tempo, o investimento em tecnologia potencializa os resultados de todas as empresas. Com informações mais rápidas e precisas, os processos são otimizados.

Você também vai gostar de ler: as vantagens de adotar uma cultura data driven

A redução de perdas

A partir da coleta e análise dos dados, rapidamente chegamos às áreas de produtos e de estoque. Assim, dá para reduzir perdas sem que seja necessário fazer recontagens ou impasses que poderiam atrasar as entregas e os resultados.

A redução de custos

Como consequência direta de toda automatização e melhores tomadas de decisões, fica mais fácil se chegar na redução de custos. Inclusive, as próprias diminuições de perdas indicam esse benefício de uma operação mais eficiente e com mais lucro.

A estratégia de negócios

Supply Chain. Já mencionamos que um viés muito importante das tecnologias chega até essa área da logística. Dessa forma, as organizações podem criar estratégias mais alinhadas com os objetivos. E dá para monitorar todo fluxo, otimizando o tempo de trabalho.

A satisfação dos clientes

Inevitavelmente, os clientes passam a ser melhores atendidos e ficam mais satisfeitos. Nessa hora, fica claro um impacto da Logística 4.0: na experiência do consumidor. 

Com menos erros nos pedidos e informações mais organizadas, a empresa pode oferecer mais competitividade.

Como implementar a Logística 4.0 na sua empresa

Depois dos exemplos e benefícios da Logística 4.0 é importante saber como inserir esse conceito dentro da sua empresa. De maneira resumida, é preciso identificar as necessidades e criar as prioridades para que o plano de ação funcione. Conheça as principais etapas para isso.

Logística 4.0

A mudança cultural

O termo é totalmente ligado à tecnologia. Só que a ideia de implementar esse conceito só vai dar certo se houver uma mudança cultural no fit da empresa. Esse pensamento vai alterar a forma de pensar, de agir e de tomar decisões por parte de todos os colaboradores.

Durante essa etapa, vale muito a pena investir em treinamentos regulares para que exista um acompanhamento geral, de todos os participantes, sobre os novos sistemas e processos. Dessa forma, a mudança acontece na prática.

O investimento em tecnologia

A tecnologia é o assunto mais importante. No entanto, o erro está em escolher uma das ferramentas ou soluções e aplicar sem conhecimento. É preciso saber o que realmente faz sentido para o seu negócio. Estude e valide todas as opções para ter essa resposta.

As novas estratégias de negócios

Com esse passo a passo, a integração de processos será uma realidade e poderá ser aplicada diretamente na cadeia de suprimentos. Dessa forma, o fluxo vai do fornecedor até a transportadora e toda informação estará disponível de maneira ágil e em tempo real.

Um bom exemplo vem da comunicação com embarcadores, transportadores e demais parceiros. O que torna possível reduzir o retrabalho, diminuir gastos e falhas, além de tornar o processo todo mais confiável.

Resumo: entenda a Logística 4.0 como estratégia de negócios

Após a leitura, um breve resumo indica que a Logística 4.0 é uma evolução do processo tradicional dessa área. A característica principal tem a ver com o investimento em tecnologias para a gestão de Supply Chain e para aumentar o market share das empresas.

Cada vez mais, a tendência indica a automatização das atividades, aumentando a produtividade e o ganho de eficiência em todas as operações.

logística data driven

5 vantagens da logística data driven para a sua empresa

Ao invés de tomar decisões aleatórias e sem embasamento, o que você aconteceria se fosse possível consultar dados e números sobre o que acontece em sua empresa? As decisões seriam mais assertivas, certo? É por isso que vale a pena conhecer as vantagens da logística data driven!

Essa tem se mostrado como uma das principais possibilidades das tecnologias em favor dessa área importante para as empresas. É a capacidade de prever o futuro a partir dos dados passados. É o que faz a diferença na hora de tomar atitudes que tenham resultados positivos.

As vantagens da logística data driven

A logística data driven é uma tendência que gera dados valiosos a partir de um sistema de informação que permite que líderes e gestores da logística tomem as melhores decisões. É uma ideia que está ligada ao conceito da transformação digital nessa área.

De qualquer forma, nós já explicamos aqui no blog a ideia por trás da cultura data driven na logística. Esse texto é complementar, isto é, um tipo de continuação. Aqui, o foco é muito mais prático porque vamos falar sobre as vantagens da logística data driven para as empresas.

Se você quiser ler o artigo anterior, que foi publicado alguns dias, saiba que ele está disponível em: Saiba por que implementar a cultura data driven na logística é uma boa ideia. Se já leu esse conteúdo, veja só os detalhes de cada uma das vantagens dessa estratégia.

1 – Intralogística

A primeira das vantagens da logística data driven está na melhoria da logística interna das empresas, de qualquer empresa. Isso porque quem faz a aplicação dessa estratégia acaba otimizando mais os seus espaços e diminuindo os custos de armazenamento.

Logo, isso permite, entre tantos benefícios diretos, o do melhor gerenciamento do estoque, a estimativa das futuras demandas, a prevenção da perda de produtos, além de tornar possível evitar paradas operacionais desnecessárias.

Para quem ainda não entendeu a importância da cultura data driven dentro do assunto da logística, saiba que uma das possibilidades é a de monitorar os espaços em centros de distribuições. E isso traz esse monte de vantagens para a intralogística que falamos.

2 – Decisão

Outro ponto importante é que esses dados, que vem do conceito data driven, trazem mais controle para os gestores tomarem as melhores decisões da logística dentro da empresa. Mas, você sabe como é que esse controle acontece? É fácil entender, veja só.

A partir da análise de dados dá para entender quais são os gargalos ou as falhas do setor. Assim, os líderes podem conhecer os motivos desses pontos negativos. Com isso, a partir de decisões inteligentes e pontuais, dá para reverter o cenário e chegar ao que é positivo.

Só para ilustrar essa situação, vamos considerar um exemplo. Imagine que exista desorganização de espaços de armazenamento, ok? Então, os dados vão mostrar isso e indicar as melhores soluções para organizar o ambiente. A correção poderá ser visível e mais rápida.

3 – Indicadores

Quando se torna possível acompanhar uma linha cronológica de vantagens da logística data driven, olha só o que acontece que interessante… Vimos o benefício para a intralogística e como isso interfere na decisão dos gestores e líderes. Na sequência vem os indicadores.

Ou seja, se a gente tiver alterações positivas com essa técnica, sem dúvida que a empresa vai melhorar os seus indicadores na logística. Isso ajuda a tornar o transporte mais eficiente, a ponto de que entregas sejam agilizadas e erros possam ser evitados.

E qual é a consequência desse indicador positivo? A empresa se torna mais produtiva, mais eficiente, gerando mais valor entre colaboradores e atendendo mais demandas. Sim, é sobre isso que estamos falando: a logística data driven permite crescimento para a sua companhia.

o que é logística data driven

4 – Finanças

Já chegando ao fim dessa lista, a sua pergunta pode ser mais ou menos assim: “tudo parece ir bem até aqui, mas ainda não entendi onde a logística data driven pode beneficiar a minha empresa na parte financeira”. Se é isso que está pensando, temos explicação.

Esse tipo de cultura permite sim uma redução de desperdícios. E isso acontece porque os custos excedentes são eliminados a partir do momento que os processos se tornam mais eficientes. Observe que o fato de tomar uma decisão mais assertiva já traz esse resultado.

5 – Estratégia

O mercado de transporte como um todo tem evoluído a passos largos a partir da tecnologia. O e-commerce é um dos influenciadores disso, mas não o único. O que quer dizer que a partir do estudo interno desta área é possível pensar nas melhores estratégias.

Inclusive, a escolha inteligente de um parceiro de negócios pode trazer benefícios em termos de receitas financeiras ou número de clientes. E nessa hora, o data driven pode ajudar também, já que permite uma avaliação de dados reais da empresa.

Um exemplo pode ser visto a partir da otimização de processos. Esse recurso moderno permite ganhos de eficiência na execução de tarefas. Assim, torna-se possível que uma grande quantidade de dados se torne informações relevantes para uma nova estratégia de negócios.

Como saber mais sobre as novas tecnologias na logística

Para quem gostou desse assunto e viu as principais vantagens da logística data driven para as empresas, saiba que nosso blog está recheado de informações e insights como esses. Os conteúdos compartilhados lá são gratuitos e dá para receber até mesmo no e-mail.

Para isso, assine a nossa newsletter gratuitamente e fique informado sobre tudo o que está relacionado com a logística. É a partir de informações valiosas como essas que todo empreendedor e gestor consegue criar soluções e tomar decisões mais assertivas.

logistica data driven

Logística Data Driven

Saiba por que implementar a cultura data driven na logística é uma boa ideia

Entre as tendências da logística, data driven é uma expressão das que mais impactam na tomada de decisão do gestor/empreendedor. No entanto, nem todo mundo sabe o que significa implementar a cultura data driven na empresa. Hoje, você vai descobrir!

Se ainda não se familiarizou com o termo, pense em um tipo de gestão orientada por dados. Sim, estamos diante da tecnologia em favor da logística. E quer saber? Entender a importância dos dados confiáveis na busca por melhores resultados é mais fácil do que você imagina.

A ideia de logística 4.0

Antes do tópico sobre o significado de data driven, vale a pena saber que esse termo está dentro do conceito de logística 4.0. O que é isso? É a transformação digital que chegou na área logística e criou uma espécie de 4ª revolução industrial nesse setor.

cultura data driven

Assim, temos aqui não apenas o uso de computadores e internet para se ter uma logística mais inteligente, mais eficiente, mais assertiva, mais ecológica e mais sustentável. Mas, também podemos falar de softwares, que são os programas de computadores.

Dessa forma, se existem recursos que vêm da tecnologia e podem permitir uma melhor gestão logística na sua empresa, o que você está esperando? A data driven faz parte da inteligência que pode ser aplicada em várias empresas, especialmente, no setor logístico.

O significado de data driven para a logística

A logística data driven é aquela que é orientada por dados. Esse tipo de análise permite uma tomada de decisão mais assertiva dentro de toda empresa que atua com o transporte, com a importação ou exportação e tudo mais ligado à logística.

A estratégia usa softwares de gestão para monitorar cada um dos processos da empresa. Isso poderia incluir, por exemplo, a distribuição, a coleta, o armazenamento, as informações, etc. Ou seja, torna possível integrar o processo logístico em um único lugar.

Mas, por que a estratégia data driven pode ser positiva? Porque ela traz muitas vantagens, como é o caso de permitir a criação de rotas otimizadas, de entregas inteligentes e de resultados que podem ser vistos em gráficos, por exemplo.

Um pouco de teoria…

Para quem gosta de entender os porquês, esse tópico será breve, mas serve para explicar o que é tudo isso na teoria. Os dados que podem ser usados são aqueles que formam o Big Data. Assim, imagine um monte de dados em alta velocidade.

A estratégia data driven vem para organizar esses dados e oferecer uma base de estudo para os tomadores de decisão. Logo, os dados não consideram pontos de vista, mas sim uma perspectiva aprofundada de dados confiáveis. É uma questão analítica.

Esse tipo de avaliação valiosa que algumas empresas estão fazendo, permitem conhecer padrões, tendências e relações na hora de gerar resultados. O motivo é claro: usa resultados passados, entende as causas disso e permite uma tomada de decisão mais assertiva.

O objetivo do data driven na logística

Se é possível monitorar os processos da empresa a partir de dados, ótimo. Mas, o que podemos fazer ? É importante ter essa resposta antes de começar a implementar a cultura data driven na sua empresa.

De modo resumido e rápido, leve em conta que essas informações valiosas usadas na metodologia e nos softwares podem levar você a ter uma ou mais respostas importantíssimas sobre o seu negócio de atuação. Por exemplo:

  • Quais os pontos fracos da minha empresa
  • O que eu posso melhorar em capacidade produtiva
  • Quais os problemas que eu consigo evitar
  • Como podemos nos destacar da concorrência

Assim, usando a tecnologia para a coleta e análise de dados, é possível gerar relatórios em tempo real. No entanto, se a ideia é boa, por que nem toda empresa logística aplica? Por causa da dificuldade em implementar a cultura. Descubra como vencer esse desafio no fim do artigo.

As vantagens da logística data driven

No último tópico, você viu que implementar a cultura data driven na empresa pode ser uma decisão inteligente por parte de gestores e empreendedores. Mas, trazendo isso para a realidade profissional, o que é possível notar de benefícios para as tomadas de decisões?

cultura data driven

É muito fácil entender isso na prática. Se você pode receber dados confiáveis na sua mão, com certeza, vai conseguir prever cenários e adaptar processos que precisam de atenção. Assim, essa estratégia atua desde a identificação de oportunidades até o aumento da produtividade.

Do lado financeiro, a data driven permite uma redução de custos devido à integração de dados em um mesmo lugar. Isso resulta na redução de erros e na melhora da busca por cotações.

Para conhecer os detalhes e as principais vantagens da logística data driven, leia outro texto.

Como implementar a cultura data driven na logística

O principal desafio da estratégia está justamente na implementação. Isso porque nem sempre é fácil mudar a postura dos gestores e a forma deles atuarem nas empresas. Só que essa cultura só vai acontecer se houver pessoas preparadas e dispostas a mudar.

Toda visão global da operação ainda está entre os principais desafios da logística. Porém, as empresas que saem na frente conseguem otimizar processos e conquistar resultados a partir de dados confiáveis. Inclusive, esse é o significado de data driven.

Para você que está lendo esse conteúdo e tem essa visão de futuro, leve em conta que um primeiro passo pode ser o de contar com o apoio de especialistas para automatizar os processos logísticos da sua empresa. Isso é o que vai permitir uma liderança mais engajada.

Sobre a DC Logistics

A DC Logistics pode ser essa empresa especialista que vai auxiliar você em causar um impacto muito positivo na cultura empresarial do seu negócio. Afinal, estamos diante de uma solução que visa a eficiência operacional e integrada.

O papel da DC é o de ajudar o gestor a entender esse tipo de armazenamento de dados. O que pode ser feito com o monitoramento das movimentações, das mercadorias, dos profissionais, etc. Ao invés de decisões imprecisas, esse tipo de gestão permite melhores escolhas.

Para quem ficou com alguma dúvida, vale a pena restaurar o conceito de logística 4.0, que envolve tecnologias analíticas, que permitem maior previsibilidade e, consequentemente, ações mais inteligentes.

Faça um orçamento na DC e descubra como melhorar os seus processos logísticos agora mesmo!

Ano novo Chinês

Plantio DC

Plantio DC 2021: participe e contribua com o futuro das pessoas!

A cada carga fechada, uma árvore é plantada. Esta é a dinâmica do Plantio DC, uma importante iniciativa de responsabilidade socioambiental, que realizamos todos os meses de junho desde 2010.

E, em 2021, o Plantio DC continua semeando nosso compromisso com o meio ambiente. Então, se você fechou uma carga conosco este mês, saiba que além de contar com a alta performance na logística internacional, está contribuindo com um futuro melhor para todos.

Quer entender melhor como ocorre o Plantio DC e seus resultados? Então acompanhe todas as informações que listamos sobre a iniciativa aqui.

Plantio DC: colhendo bons resultados desde 2010

Na DC Logistics Brasil, nós amamos, respiramos e cuidamos da natureza. Desta forma, entendemos que o Plantio DC é mais que um projeto: é uma forma de nos reconectarmos com o meio ambiente. Para, assim, devolver ao planeta um pouco do que ele nos proporciona diariamente.

Pensando nisso, em 2010, criamos esta ação ecológica que ocorre sempre em junho, porque é neste mês em que se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, todo dia 5.

Nesta iniciativa, não só envolvemos a nossa equipe, como também nossos clientes. Pois o plantio de cada muda só ocorre a cada carga fechada neste período. Desta forma, incluímos os parceiros nesta jornada rumo ao futuro mais consciente e sustentável.

Hoje, já são mais de 38,6 mil árvores plantadas. E juntas elas beneficiam nosso ambiente, saúde e até mesmo proporcionam mais bem-estar à comunidade. Todo o histórico e os principais benefícios do nosso projeto podem ser acessados no site do Plantio DC.

Plantio DC
Hoje, já são mais de 38,6 mil árvores plantadas pelo Plantio DC.

Reduzindo os impactos ambientais da logística internacional

O Plantio DC é uma das formas que encontramos para reduzir o impacto ambiental. Afinal, o setor logístico envolve o uso de muitos veículos e outros processos que geram poluição ao meio ambiente.

A geração de resíduos do modal aéreo e marítimo, por exemplo, envolve muito mais que a queima dos combustíveis. É importante considerar fatores como a refrigeração e armazenamento de cargas perigosas que, se descartadas ou manuseadas de forma incorreta, podem contaminar a natureza e até mesmo as pessoas envolvidas.

Além disso, os resíduos sólidos e orgânicos gerados em aeroportos e portos também contribuem com o acúmulo de poluentes no planeta. Para completar, a movimentação de cargas ainda envolve o uso de transportes terrestres.

Hoje, no Brasil, existem mais de 400 mil caminhões que estão em estado de deterioração, por exemplo, pois foram substituídos por veículos mais modernos. Isso pode gerar prejuízos ao solo e lençol freático, além de contribuir com a proliferação de pragas urbanas. As informações foram compartilhadas pelo portal eCycle.

Como plantar árvores pode resolver o problema?

Quando estiver em um ambiente aberto, olhe ao redor e responda: quantas árvores você vê por perto? Elas estão presentes nas ruas, parques e quintais, mas poderiam ser encontradas em maior quantidade, não é mesmo?

As árvores têm uma importância muito grande para nosso futuro, pois além de criarem um ambiente mais tranquilo e esteticamente agradável, fornecem oxigênio, favorecem o controle térmico e até são fontes de alimentos.

Aqui estão algumas razões para promovermos o Plantio DC e semearmos esta prática de plantar árvores em nossa sociedade:

Plantio DC

De acordo com a fundação Funverde, uma árvore adulta absorve até 250 litros de água do solo por dia. Desta forma, elas contribuem com ambientes urbanos em que o acúmulo de água resulta em prejuízos como enchentes.

Ainda ajudam a reduzir problemas de erosão, uma vez que as camadas de folhas que caem das árvores protegem os solos da água. Além disso, suas raízes absorvem matérias orgânicas – incluindo fezes de animais de diversas espécies – e nutrientes usados para a fotossíntese.

E, também segundo a Funverde, uma árvore transpira, em média, 400 litros de água. Com isso, acaba refrescando o ambiente em que está plantada, proporcionando o equilíbrio térmico. Este efeito equivale a, por exemplo, o funcionamento de 5 equipamentos de ar-condicionado.

Para completar, veja como as árvores beneficiam o meio ambiente ao absorverem o dióxido de carbono e produzirem o oxigênio:

Este é só um dos diversos projetos que temos de responsabilidade socioambiental!

Aqui você conheceu apenas uma das diversas iniciativas realizadas e apoiadas por nós, para tornarmos o mundo melhor. E recentemente apresentamos as principais delas aqui em nosso blog.

Afinal, o desenvolvimento sustentável é fundamental para garantirmos um futuro com mais qualidade de vida para as próximas gerações.

Porque o nosso planeta já está correndo risco, e se não agirmos juntos agora, o amanhã pode estar comprometido.

Então, com o Plantio DC e todas as nossas iniciativas, buscamos estimular nossos clientes, como também fornecedores e os próprios colaboradores a agirem por uma cadeia logística mais verde.

Assim, valorizamos os conceitos e práticas em prol do meio ambiente dentro e fora da DC Logistics Brasil.

Desta forma, estamos alinhados também a atual demanda dos investidores e clientes do mercado, que buscam consumir de empresas cada vez mais sustentáveis.

Esta conscientização reflete desde a valorização dos índices ESG dos negócios, como também nos posicionamentos de consumidores que consideram as atitudes ambientais no transporte e fabricação ao realizarem suas compras.

Portanto, ao fechar sua carga com a DC Logistics Brasil em junho, você acaba agregando mais sustentabilidade às operações de comércio exterior.

Quer fazer parte deste movimento? Então junte-se a DC e assuma também este compromisso com a sustentabilidade. Com você, podemos transformar o mundo e beneficiar novas gerações. Participe clicando aqui!

Participar do Plantio DC

Certificado de Origem

Qual a importância do certificado de origem?

O Brasil é um grande exportador, tendo registrado um superávit de US$ 58,7 bilhões nas transações comerciais com o exterior em 2018, conforme dados do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre-FGV). Nossos produtos chegam a diferentes partes do mundo diariamente, especialmente commodities e outros itens destinados à China.

Porém, para que sejam bem sucedidas, as exportações precisam respeitar as exigências dos países importadores. Neste sentido, o governo brasileiro está sempre em busca de acordos comerciais para possibilitar maior competitividade dos produtos brasileiros e melhores condições comerciais. Por meio destes acordos comerciais, por exemplo, é possível que os exportadores brasileiros consigam um documento que comprove a origem da mercadoria, são os chamados certificados de origem.

Qual a importância do certificado de origem?
A certificação de origem é um documento que concede recursos preferenciais às operações com os países no qual o Brasil possui acordo comercial.
O certificado de origem certifica que o produto exportado atende todas as normas de origem com o país importador.

Vantagens do certificado de origem
Quando o exportador brasileiro opta por utilizar a certificação de origem, ele tornará seu produto mais competitivo em relação aos outros países. Além disso, ele possui algumas vantagens, são elas:

  • Tratamento alfandegário especial
  • Possibilidade de atestar a origem da mercadoria
  • Redução de impostos comerciais

A vantagem comercial mais significativa com a emissão do certificado de origem é a redução do imposto de importação, que algumas vezes pode chegar a 100%.

Quem emite os certificados de origem?
Os certificados de origem são, geralmente, emitidos pelas federações das indústrias ou associações comerciais e empresariais dos estados brasileiros.

O certificado de origem é um grande avanço comercial para os produtos brasileiros, trazendo benefícios para o importador e para o exportador.

21 locais são definidos para receber ou exportar produtos de origem animal em todo país

21 locais são definidos para receber ou exportar produtos de origem animal em todo país

Na penúltima semana, a Portaria 183 do Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) determinou que apenas existirão locais específicos que poderão receber e exportar produtos de origem animal, abaixo elencamos.

O Vigiagro realizou um levantamento dos locais com maior movimentação dessas cargas, além disso, a estrutura também foi levada em conta para o recebimento dos produtos como, câmaras frigoríficas. Os pontos selecionados atenderam a todos os requisitos.

Os locais que foram definidos correspondem por 95% das operações envolvendo tais produtos.

Para o Vigiagro, a principal razão da mudança é o foco na vigilância agropecuária, com atenção redobrada à saúde pública e à segurança alimentar, pois os auditores fiscais federais agropecuários que estão trabalhando nessas unidades receberam treinamento para atuar em cima desses produtos. Os auditores sabem quais são os riscos específicos dos produtos e como atuar se encontrarem alguma inconformidade.

Confira as unidades da URF e recintos declarados na Portaria 183:

  • Convicon Conteineres de Vila do Conde – Barcarena (PA)
  • Cearaportos – São Gonçalo do Amarante (CE)
  • Teca – São Gonçalo do Amarante (RN)
  • Tecon – Suape (PE)
  • Aeroporto Geleão – Rio de Janeiro (RJ)
  • Sepetiba Tecon – Itaguaí (RJ)
  • Grupo Libra Terminais – Rio de Janeiro (RJ)
  • Teca importação e exportação – Guarulhos (SP)
  • Localfrio Guarujá Terminal Alfandegário – Santos (SP)
  • JBS – Cubatão (SP)
  • Satel de Santos Transportes – Santos (SP)
  • Standart Logística e Distribuição – Cubatão (SP)
  • Teca – Campinas (SP)
  • Multilog – Foz do Iguaçu (PR)
  • TCP – Terminal de Container de Paranaguá – Paranaguá (PR)
  • Tecon Imbituba – Imbituba (SC)
  • Brasfrigo – Itajaí (SC)
  • Localfrio Logística – Itajaí (SC)
  • Multilog – Itajaí (SC)
  • Portonave – Navegantes (SC)
  • Seara Alimentos – Itajaí (SC)
  • Terminal Porto de Itajaí – Itajaí (SC)
  • Centro Logístico Integrado FastCargo – Itapoá (SC)
  • Itapoá Terminal Portuário – Itapoá (SC)
  • Tesc – São Francisco do Sul (SC)
  • Inspetoria da RFB no Chuí – Chuí (RS)
  • Multilog – Jaguarão (RS)
  • Tecon Rio Grande – Rio Grande (RS)
  • Multilog – Livramento (RS)
  • Centro Unif. de Fronteira – São Borja (RS)
  • Multilog – Uruguaiana (RS)
Páscoa 2019 já está movimentando o setor logístico

Páscoa 2019 já está movimentando o setor logístico

O ano mal começou e a páscoa já está movimentando o setor logístico.

No Brasil, os meses de novembro e dezembro deram início aos pedidos de importação de pescados e de exportação chocolates, de diferentes regiões do mundo para que cheguem a tempo da páscoa.

Paulo Espíndola, Pricing Manager, da DC Logistics Brasil explica que, geralmente os pedidos são feitos com antecedência, para serem embarcados no início do ano, permitindo o tempo de transporte sem problemas, que leva em torno de 40 dias, dependendo da região.

Movimentação de cargas

O transporte marítimo é o mais utilizado para transportar o chocolate e o pescado. Ambos os produtos devem ser transportados em contêineres refrigerados e adequados, garantindo a higiene e segurança do produto. “Quando chegam ao destino, os produtos são distribuídos para diversas regiões. É um processo minucioso e delicado já que estamos trabalhando com alimento perecível e precisamos levar a garantia e qualidade ao consumidor final”, afirma Paulo.

Importação de pescados
Apesar do grande potencial de pesca do Brasil, cerca de 60% dos peixes consumidos são oriundos de países da América do Sul, Ásia e Europa.

Os peixes mais importados pelos brasileiros são salmão, polaca, peixe-panga e bacalhau, todos de diferentes regiões do mundo. No Porto de Itajaí (SC), até outubro de 2018 o principal produto importado foi o pescado com, 50,4%.

Exportação de chocolates
Segundo o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), até setembro de 2018 a exportação de chocolates do Brasil somou o equivalente a US$129,84 milhões, o que representa uma alta de 77,7% em relação à receita observada no mesmo período de 2017 (US$73,06 milhões). O Brasil é o terceiro maior produtor mundial de chocolates e, de acordo com o Ministério da Agricultura, o chocolate brasileiro chega a mais de 100 países em todos os continentes do mundo.

Cenário e tendências para 2019

Cenário e tendências para 2019

Como estão as previsões para oComércio Exterior em 2019? As eleições presidenciais de 2018 no Brasil deixaram os empresários apreensivos em relação ao que aconteceria na economia brasileira e de que forma isto afetaria os negócios internacionais. Mas, uma recente pesquisa feita pela Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC) apontou que 90% das empresas esperam um crescimento de aproximadamente 5% nas relações internacionais deste ano.

De janeiro a outubro de 2018, houve uma retomada gradativa dos negócios, em relação ao ano anterior, pois, de fato a economia está se recuperando. 

Segundo dados divulgados pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), na primeira semana de dezembro de 2018, a balança comercial registrou superávit de US$ 2,019 bilhões, resultado de exportações no valor de US$ 5,667 bilhões e importações de US$ 3,649 bilhões. No ano, as exportações somam US$ 225,635 bilhões e as importações, US$ 171,957 bilhões, com saldo positivo de US$ 53,677 bilhões. 

Cenário e tendências para 2019

As expectativas para 2019 são positivas, pois, o novo governo prevê menor intervenção no mercado, o que incentiva os investimentos e a geração de empregos. Abrindo um ciclo virtuoso de aumento de demanda e oferta. Mais produtos e insumos serão importados para suprir esta demanda, e a competitividade que as empresas irão adquirir com a escala em suas produções, aumentará as exportações.

Segundo dados divulgados pela Organização Mundial do Comércio (OMC), em 2018 o Brasil foi o país que mais adotou medidas para abrir seu mercado para produtos estrangeiros. No total, foram adotadas 16 medidas para facilitar o comércio exterior, incluindo reduções de tarifas de importação, suspensão de algumas barreiras e incentivos para exportadores. Em certos casos, os impostos de importação foram eliminados, como no caso de vacinas e outros remédios. Produtos químicos, bens de capital e outros setores também foram beneficiados.

Em dezembro de 2018, a Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB) divulgou a previsão para a balança comercial deste ano, com valores de exportações de US$ 220,117 bilhões (queda de 7,3% em relação aos US$ 237,485 bilhões estimados para 2018) e de importações em US$ 186,360 bilhões (aumento de 2,1% em relação aos US$ 182,534 bilhões estimados para este ano). Com isso, o superávit previsto é de US$ 33,757 bilhões em 2019, queda de 38,6% em relação ao ano anterior.

O cenário internacional, terá uma taxa cambial que oscilará entre R$ 3,50 e R$ 3,90, que será influenciada pelo quadro político e econômico brasileiro, seguido pela elevação dos juros nos Estados Unidos.

A projeção feita pela AEB considera um conjunto de fatores que apontam para uma redução do ritmo de crescimento do mundo econômico. Entre os fatores relacionados pela entidade que influenciam no fluxo de comércio, destacam-se a guerra comercial entre Estados Unidos e China, com sobretaxa aduaneira, que pode gerar elevação do custo de importação, redução da demanda e queda nas cotações das commodities, eventual elevação das taxas de juros dos EUA aumentando os custos financeiros e reduzindo os níveis de comércio mundial.

Na União Europeia, problemas econômicos na Itália, políticos na Alemanha e Brexit no Reino Unido travam o crescimento econômico, reduzindo o nível de comércio e com impacto negativo nas cotações das commodities.

A Argentina, com elevada taxa cambial, alto desemprego, baixo consumo e forte queda das atividades econômicas, pode reduzir as importações, em especial do Brasil.

O relatório da AEB alerta para fatores desconhecidos, como as ações do presidente Donald Trump de caráter protecionista, questões de antidumping, revisão de acordos comerciais, elevação de taxas de juros; impacto nas cotações de petróleo, como resultado do corte na produção de petróleo pela OPEP, em contrapartida à elevação da produção dos Estados Unidos, o PIB negativo da Argentina, com sua crise devendo transformar o quase crônico superávit comercial brasileiro em déficit comercial, afetando as exportações de manufaturados.

A entidade também considera que não se pode indicar, e muito menos quantificar, impactos sobre decisões a serem adotadas pelo novo governo, tanto sobre exportações quanto importações..