BLOG DC / Importação de peças automotivas: como está o mercado e o que você deve ficar atento nesta operação!

Importação de peças automotivas: como está o mercado e o que você deve ficar atento nesta operação!

Importação de peças automotivas: como está o mercado e o que você deve ficar atento nesta operação!

Assim como muitos mercados, o setor automobilístico tem enfrentado muitos desafios devido aos efeitos da pandemia no cenário global. Entre eles, está a importação de peças automotivas.

Isso porque, a falta destes itens gera muitos problemas, inclusive paralisado produções nas montadoras nacionais.

Então, para ajudar você a suprir este ciclo, trouxemos informações relacionadas ao momento em que vivemos e como uma operação logística de qualidade pode contribuir com a sua importação de peças automotivas.

Acompanhe com atenção as principais notícias do setor e antecipe-se aos cenários para acelerar suas atividades e sair na frente!

Atenção a estes pontos na importação de peças automotivas

Antes de seguirmos com este conteúdo, vale a pena relembrar 10 pontos que você precisa saber sobre a logística automotiva.

Nesta publicação recente que compartilhamos aqui no blog, reunimos importantes orientações sobre:

  1. Documentação necessária para realizar a logística automotiva;
  2. Compromisso com o atendimento dos prazos;
  3. Legislação que integra a logística no setor;
  4. Serviços inteligentes e sistemas avançados de tecnologia requisitados nas operações;
  5. Redução de custos dos processos;
  6. Efeito borboleta na logística automotiva;
  7. A importância de parcerias para o sucesso das operações logísticas automotivas;
  8. Embalagem;
  9. Comércio exterior e o setor;
  10. Dados do mercado brasileiro.

Esta leitura complementar pode contribuir muito com a sua a importação de peças automotivas. Afinal, conhecimento sobre o setor nunca é demais, pois isso reflete em mais eficiência e em uma melhor tomada de decisão.

Setor automotivo no Brasil em 2021

O setor automotivo enfrenta um dos momentos mais desafiadores desde o início da pandemia, no ano passado.

Em avaliação compartilhada no Portal Mobilidade do Estadão, o presidente da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), Luiz Carlos Moraes, lembrou que os negócios brasileiros já haviam sido surpreendidos pela crise de 2016, e que 2020 seria um ano de retomada, mas que os planos foram afetados pelos resultados negativos.

O anúncio do fechamento de grandes fábricas coloca a cadeia em alerta. “Estamos vivenciando uma crise gravíssima, que desarticulou a cadeia de fornecimento e afetou a produção de veículos. E agora em escala global – o que amplia a ociosidade industrial, gerando competição ainda mais acirrada entre países produtores na busca de mercados para exportar”, disse Moraes em publicação ao Estadão.

Como reverter a situação?

Ainda que esteja difícil, a esperança de recuperação do setor automotivo em 2021 são altas. Isso porque, o Brasil apresenta um grande potencial para crescer como exportador de veículos de alta tecnologia, como observado pelo presidente da Anfavea.

Para tanto, é necessário trabalhar na eficiência da importação de peças automotivas, uma vez que as produções nacionais dependem muito das soluções internacionais, principalmente do mercado asiático.

Segundo dados do Sindipeças publicados pelo Portal AutoIndústria, as importações de autopeças cresceram 5% no Brasil. Enquanto os principais compradores de soluções automotivas brasileiras seguem sendo Argentina, Estados Unidos, México, Alemanha e Itália, o maior importador continua sendo a China.

Nos dois primeiros meses de 2021, as importações de autopeças da China tiveram alta de 20,2%. E as dos Estados Unidos subiram 18,9%. Ainda houve queda das compras de autopeças alemãs, que reduziram em 16,6%.

Com as paralizações de fabricações chinesas no início do ano passado, por exemplo, muitos fornecedores de matéria-prima e de manufaturados foram prejudicados.

E isso refletiu em muitos problemas para as montadoras brasileiras, como a falta de contêineres, aumento dos custos de fretes – tanto no modal marítimo quanto no aéreo – e redução de porões disponíveis em voos comerciais, como lembrado em levantamento da Folha de São Paulo.

Todavia, já houve melhoras no cenário, que estão refletindo na retomada das operações com mais eficiência, ainda que a passos lentos.

Logo, os profissionais do comércio exterior que precisam lidar com esta situação crítica seguem trabalhando com estratégias que garantam a entrega de peças automotivas de forma antecipada, evitando o desabastecimento.

3 dicas para evitar problemas na importação de peças automotivas

Importação de peças automotivas: como está o mercado e o que você deve ficar atento nesta operação!

Trabalhar na eficiência da importação de peças automotivas é necessário, uma vez que as produções nacionais dependem muito das soluções internacionais.

Se você trabalha com a importação de peças automotivas e está enfrentando todas as dificuldades listadas acima, siga estas dicas! Elas são baseadas em nosso conhecimento de mercado e também no que aprendemos em conteúdo compartilhado pelo blog da plataforma de tecnologia Cotexo.

  1. Antecipe-se às demandas

 Acompanhe os dados do mercado para realizar um assertivo controle de estoque prevendo os cenários. Assim, ao trabalhar na importação de peças automotivas de forma antecipada, é possível driblar riscos de desabastecimento.

Lembre-se que o tempo médio de entrega de produtos internacionais é de aproximadamente 40 dias, o que pode variar de acordo com o país de origem, modal, e processamento da documentação pelas autoridades.

  1. Atenção à documentação

 Já falamos muitas vezes sobre a importância que deve ser dada à documentação da importação de peças automotivas, mas não custa lembrar. Isso porque, qualquer descuido na forma como você informa as autoridades, mesmo que sem querer, pode gerar penalidades graves e até mesmo atrasar as operações.

Então, para efetuar essa operação com assertividade e segurança, conte com um agente de carga que tenha experiência na logística automotiva e que saiba tudo o que você precisa para atender às exigências legais de todas as movimentações.

Ele saberá orientar sobre o Certificado de Origem, Packing List ou Romaneio, Conhecimento de Embarque, Licenciamento e Declaração de Importação, entre outros trâmites.

  1. Tenha a tecnologia como aliada nas suas operações de Comex

 Quanto mais tecnologia estiver envolvida na logística, mais eficiente ela será. Desta forma, é importante também escolher parceiros que ofereçam serviços inteligentes e sistemas avançados para movimentação das cargas, como a DC Logistics Brasil.

As nossas soluções completas e inovadoras contribuem também com as operações de importação de peças automotivas. Assim, nossa equipe consegue desenvolver um processo de armazenamento assertivo e eficaz, garantir extrema agilidade à operação e ajudar você a manter sua produção em atividade, sem riscos de paradas por falta de suprimentos.

Além disso, nossa expertise logística ainda contribui com a redução de custos, pois trabalhamos com as melhores rotas e transit time, graças aos avançados softwares para controle de processos, que agregam agilidade e flexibilidade.

Portanto, se você deseja contar com todas estas vantagens na importação de peças automotivas, garantindo os prazos e segurança, solicite uma cotação de frete sem compromisso!

Cotação DC Logistics Brasil

FONTES:

DC Logistics Brasil – https://dclogisticsbrasil.com/logistica-automotiva/

Estadão – https://mobilidade.estadao.com.br/mobilidade-para-que/riscos-licoes-e-desafios-da-pandemia-para-o-setor-automotivo/

Portal AutoIndústria – https://www.autoindustria.com.br/2021/03/15/deficit-comercial-das-autopecas-cresce-32/

Folha de S. Paulo – https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2021/03/apagao-logistico-global-paralisa-montadoras-que-pensam-em-nacionalizar-pecas.shtml

Cotexo – https://cotexo.com.br/blog/veja-6-dicas-para-realizar-a-importacao-de-pecas-e-produtos-sem-problemas/